top of page

13 milhões de brasileiros deixaram de passar fome em 2023, diz estudo

A redução da insegurança alimentar grave está associada à diminuição do desemprego e ao aumento da renda da população

O Consea é composto por dois terços de representantes da sociedade civil e um terço de representantes governamentais - Agência Brasil
O Consea é composto por dois terços de representantes da sociedade civil e um terço de representantes governamentais - Agência Brasil

Um recente estudo conduzido pelo Instituto Fome Zero, a pedido do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), mostrou que 13 milhões de brasileiros deixaram de enfrentar a fome em 2023.


A pesquisa, divulgada recentemente, utilizou dados da Pesquisa de Orçamento Familiar e da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua) do IBGE.

O estudo diferencia entre insegurança alimentar moderada, em que as pessoas não têm acesso a três refeições diárias, e insegurança alimentar grave, caracterizada pela falta de comida por um dia ou mais.


Segundo o Instituto Fome Zero, a redução da insegurança alimentar grave está associada à diminuição do desemprego e ao aumento da renda da população, impulsionado por programas de transferência de renda e reajustes do salário mínimo.



A política de valorização do salário mínimo tem um papel significativo nessa melhoria, aumentando o poder de compra da população.


José Graziano, ex-ministro de Combate à Fome e diretor-geral da FAO, destaca que o aumento do salário mínimo beneficia toda a população, mesmo aqueles que não recebem o salário mínimo.


“As pessoas ganharam mais do que perderam com a inflação. Mas o maior elemento é a política de aumento do salário mínimo, que atinge todos os brasileiros, mesmo aquelas pessoas que não ganham o salário mínimo são afetadas”, explica o ex-ministro de Combate à Fome.


Índice de Miséria

O Índice de Miséria, que combina indicadores de desemprego e inflação, caiu para 12,4% em 2023, após um período de crescimento entre 2019 e 2021.


Segundo especialistas, a inflação baixa em 2023 foi um fator crucial para a redução da miséria, especialmente beneficiando os mais pobres.


Cenário em 2020 e agravamento em 2022

Apesar do progresso, o Brasil enfrentou um aumento da insegurança alimentar e nutricional em 2020, agravado pela crise da COVID-19. Em 2022, o país atingiu a marca de 33 milhões de brasileiros sem acesso adequado à alimentação.


O “Brasil Sem Fome”, lançado justamente em resposta a essa situação pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) tem como objetivo eliminar a fome no país até 2030 e reduzir significativamente a insegurança alimentar grave no território brasileiro.


Entre no nosso grupo de WhatsApp AQUI.

Entre no nosso canal do Telegram AQUI.

 

Ajude a fortalecer nosso jornalismo independente contribuindo com a campanha 'Sou Daki e Apoio' de financiamento coletivo do Jornal Daki. Clique AQUI e contribua.

POLÍTICA