top of page

Servidores de SG voltam ao trabalho. Menos os da Educação



Os servidores públicos efetivos (menos os da Educação) voltam ao trabalho depois de quase dois meses em greve. A decisão foi tomada na última quinta (16), em Assembleia no Centro da cidade, realizada pelo sindicato da categoria, o Sindspef-SG.


Os trabalhadores da Saúde, Guarda Municipal e Meio Ambiente - áreas mais atingidas pelo movimento grevista - retomam as atividades imediatamente. O governo Nanci se comprometeu em não dar faltas ou perseguir os servidores que cruzaram os braços.

Segundo o Sindspef-SG, a greve termina, mas as manifestações e eventuais paralisações continuam até o governo rever sua posição de parcelar o salário de dezembro em até 8 vezes. O sindicato admite o parcelamento, mas no máximo em 2 vezes. A prefeitura apresentou à categoria um calendário de pagamentos escalonados que terminaria apenas em setembro deste ano.

Em data de março a ser confirmada, Sindspef e governo têm encontro marcado na Justiça em audiência de conciliação. O sindicato promete levar ao juízo da 3ª Vara Cível da Comarca de São Gonçalo planilha que comprova o exagero nas nomeações de cargos comissionados.

Segundo a entidade trabalhista, o dinheiro gasto em salários dos contratados poderia ser usado para quitar a dívida com os servidores efetivos.

O montante da folha com comissionados já ultrapassa os R$ 4 milhões mensais.

REARRANJO NO GOVERNO


O governo, enfraquecido pela grave crise econômica que afeta o município, aos poucos vai cedendo à gula de vereadores e correligionários por espaço na administração.

Na surdina, mas nem tão discretamente assim, figuras carimbadas da política gonçalense, que antes foram deixadas de lado na composição do governo, marcam seu território. É o caso de Adolfo Konder.

Konder conseguiu emplacar seu grupo político na subsecretaria de Meio Ambiente, responsável pelas milionárias licenças ambientais na cidade.

Nanci, que havia rebaixado a pasta, segue pressionado para recriar a Secretaria, o que deve ser anunciado depois do Carnaval. Outras pastas devem ser promovidas ao longo do ano e entregue a vereadores influentes que estão insatisfeitos com a divisão de poder no governo.

GORDO VERSUS DINEY

Os vereadores Eduardo Gordo e Diney Marins, desafetos declarados, prometem muitas emoções nessa legislatura. O ensaio de arranca-rabo entre os dois no dia da posse se concretizou.

Gordo, que é acusado pelo MP de ter desviado pomposos recursos do SUS, contestou os valores das obras de adequação do antigo Fórum para abrigar a nova Câmara, e disse aos colegas de plenário que vai investigar a fundo o destino de mais de 1 milhão de reais administrados por Diney.

Eduardo Gordo foi presidente da Câmara de 2009 a 2012.

PANOS QUENTES

O prefeito José Luiz Nanci e o vice-prefeito Ricardo Pericar decidiram colocar panos quentes no imbróglio da garagem, que teve como protagonista a primeira-dama Eliane Nanci.

Vai ficar o dito pelo não dito e vida que segue.

Pericar exigiu de Nanci um pronunciamento público da esposa, que não topou. O prefeito, para selar a paz e enterrar o assunto, devolveu o controle da garagem ao seu vice e se comprometeu em se empenhar em sua candidatura a deputado estadual em 2018. E isso equivale a ampliar o espaço de Pericar no governo.

Fontes da prefeitura afirmam que este episódio pelo menos teve um lado positivo: convencer Eliane Nanci a ser mais discreta, e antes de tomar qualquer decisão, consultar o conselho político formado pelo governo.

Todos respiram aliviados.

Gostou? Curta a página Daki no facebook aqui e fique bem informado.