top of page

A importância de um 'quase' - por Rofa Araújo


Nos dias atuais, uma das expressões mais utilizadas: uma palavrinha tão pequenina, porém, com uma importância incrível em seu significado: “quase”.

Todos a dizem muito, nas situações cotidianas e pensam que quer dizer que chegou perto de realizar isso ou aquilo, “quase” chegou lá!

Vejamos alguns dos muitos e variados motivos em que a palavra é pronunciada:


- “Eu quase peguei o ônibus daquela hora, mas o perdi e por isso cheguei atrasado...” – Que diferença um “quase” pode resultar. Quem perde o transporte da hora de costume e não chega na hora certa ao serviço, então tem o ponto riscado ou vermelho e o “quase” virou um desconto no salário no fim do mês. E mudou muita coisa!



- “Eu estava indo bem, até que o motor falhou e o alemão atrapalhou, mas ‘quase’ ganhei a corrida...” – Exemplo clássico: o nosso Rubinho Barrichello, piloto da Fórmula 1, que de tanto “quase chegar lá”, decepciona, enjoa e por tudo isso fica desacreditado. Que grande e frustrante resultado é chegar em 2o lugar, quando todos querem mesmo é ser vencedor? “Quase” ganhar é “quase” pior do que perder, pelo menos para os atletas e torcedores.


- “Estava na estrada, capotei o carro e quase morri...” – Imaginem a grande diferença entre continuar vivo e morrer? Quase morrer significa muito em contraponto à vida. Por isso é uma das expressões mais absurdas usadas pelo mundo afora!


Esses são alguns dos exemplos de como não nos importamos em usar expressões como o “quase”, pensando que estamos falando de algo que “quase” não representa nada. É uma atrocidade pronunciá-la sem pensar, e muito, em seu significado especificamente no devido contexto.

Vamos tomar mais cuidado com o uso de palavras como essa para as mais diversas situações de nossa vida e passar a pensar em seu real significado.

Afinal “quase” fazer isso ou aquilo é muito diferente de realizar o que está em seus sonhos, coração, em projetos que galguem uma posição melhor, um novo relacionamento afetivo, entre outras inúmeras ocasiões em que tentamos fazer algo que queremos ou pedimos ao nosso Deus.


Aliás, peça que o Senhor o ajude a viver intensamente para que consiga realizar o que está em seu coração e, principalmente, no coração dele, para que sua vida seja verdadeira e não uma vida de “quase”.

 

Ajude a fortalecer nosso jornalismo independente contribuindo com a campanha 'Sou Daki e Apoio' de financiamento coletivo do Jornal Daki. Clique AQUI e contribua.


Rofa Araujo é jornalista, escritor (cronista, contista e poeta), mestre em Estudos Literários (UERJ), professor, palestrante, filósofo e teólogo.


POLÍTICA