top of page

Afinal, Lívia tinha problemas ginecológicos? Mãe responde

A moça teve um corte profundo em suas regiões íntimas após ter relações com o jogador do Corinthians e morreu após ter quatro paradas cardiorrespiratórias

Dimas e Lívia. Créditos: Montagem/Redes Sociais
Dimas e Lívia. Créditos: Montagem/Redes Sociais

Fórum - A mãe de Lívia Gabrielle, jovem de 19 anos que morreu após ter relações sexuais com um jogador Dimas Cândido, do sub-20 do Corinthians, afirmou que a filha não tinha nenhum problema de saúde e tinha acompanhamento ginecológico em dia, segundo a mãe. Um novo depoimento do jogador é esperado para esta semana.


"Infelizmente eu perdi a minha filha assim, do nada. Ela não tinha nenhum problema de saúde nessa parte ginecológica. Nunca teve problema nenhum", diz a mãe.


"Eu não tenho palavras pra descrever a nossa dor. A gente tá dilacerado porque foi uma perda muito de repente", lamenta a irmã Laura Gabriele da Silva Matos.


Curso de enfermagem

Lívia Gabriele da Silva Matos fazia curso de enfermagem em um dos hospitais mais conceituados do Brasil: o Albert Einstein, em São Paulo.


Ela teve um corte profundo em suas regiões íntimas após ter relações com o jogador Dimas Cândido e morreu após ter quatro paradas cardiorrespiratórias. Segundo o atestado de óbito, a jovem teve uma "ruptura do saco de Douglas com extensão à parede vaginal esquerda".


Segundo a família, Gabrielle era muito estudiosa, esforçada e generosa. A jovem tinha duas irmãs mais velhas, morava com os pais e praticava esportes.


"(Lívia) Tinha bastante perspectiva de futuro. Ela era muito comprometida com tudo o que ela fazia na vida", diz o pai Rubem Chagas Matos, que é segurança do Corinthians.

"Infelizmente a gente ainda tá em muito choque. Só espero de coração que os fatos sejam esclarecidos", diz a mãe.


Os laudos dos exames complementares realizados pelo Instituto Médico Legal (IML) que podem apontar a causa da lesão que matou a jovem têm previsão de saírem em torno de 30 dias.

Entre no nosso grupo de WhatsApp AQUI

Entre no nosso grupo do Telegram AQUI

 

Ajude a fortalecer nosso jornalismo independente contribuindo com a campanha 'Sou Daki e Apoio' de financiamento coletivo do Jornal Daki. Clique AQUI e contribua.

POLÍTICA