top of page

Agências de risco são cúmplices da fraude financeira

Por Helcio Albano

Foto: Agência Brasil
Foto: Agência Brasil

Economia é um assunto espinhoso e não deveria ser. Assim como a escola peca em não educar para a cidadania e convivência - fundamentos da democracia -, ela também peca em não transmitir noções básicas de economia, finanças e quetais materializados nos boletos de todo mês que invariavelmente roubam o nosso sono.




["Ain, mas a empresa é do Lemann. É ele que vai pagar." kkkkkkkkkk. É a gente que vai pagar o preju dos bancos, otário! Vê quanto tá custando o crédito! Tudo combinado com o Banco Central que quer ferrar o Lula mantendo os juros na estratosfera. Isso une o útil ao agradável para a burguesia brasileira: salva banca, ferra o governo e mantém a extrema direita viva. Mas você não está preparado pra essa conversa.]


Ainda com sono e certo de modorrenta leitura, tudo muda da metade pro final da matéria quando a luz irrompe das montanhas de Santa Isabel: agências de rating (risco), auditoria e de análise de crédito nada mais fazem que o velho "ao gosto do freguês".



Encobre-se a fraude, no sapatinho, e todos ganham. E quando descoberta, o baronato capitalista socializa o prejuízo, as agências mudam de nome e um novo ciclo criminoso começa no maravilhoso mundo do sistema financeiro. Voilá!


Lembrando aqui, Lemann e Cia. deram um calote de mais de R$ 70 bilhões na praça. Essa gente fará o que com a Eletrobras?


Siga @helcioalbano.


***

Baixe de graça o livro Reflexões de proa do jornalista Helcio Albano.

HA_REFLEXÕES_ebook
.pdf
Fazer download de PDF • 1.35MB

Entre no nosso grupo de WhatsApp AQUI.

Entre no nosso grupo do Telegram AQUI.

 

Ajude a fortalecer nosso jornalismo independente contribuindo com a campanha 'Sou Daki e Apoio' de financiamento coletivo do Jornal Daki. Clique AQUI e contribua.

Helcio Albano é jornalista e editor-chefe do Jornal Daki.




POLÍTICA