top of page

Altineu e Glauber discutem após menção ao assassinato do irmão de Sâmia Bomfim

A discussão ocorreu após o Supremo Tribunal Federal (STF) formar maioria para descriminalizar o porte de maconha para uso pessoal

Deputados Altineu Côrtes (PL-RJ) e Glauber Braga (PSOL-RJ). Foto: Reprodução
Deputados Altineu Côrtes (PL-RJ) e Glauber Braga (PSOL-RJ). Foto: Reprodução

DCM - Os deputados federais Glauber Braga (PSOL-RJ) e Altineu Côrtes (PL-RJ) bateram boca na noite de terça-feira (25) no plenário da Câmara dos Deputados. A discussão ocorreu após o Supremo Tribunal Federal (STF) formar maioria para descriminalizar o porte de maconha para uso pessoal.


Após cobrar uma reação do Congresso, Altineu Côrtes citou o assassinato do médico Diego Ralf Bomfim, irmão da deputada federal Sâmia Bomfim (PSOL-SP), esposa de Glauber.


Diego Ralf Bomfim foi morto em outubro de 2023 em um atentado organizado por criminosos em um bar na Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio de Janeiro. Outros dois médicos também foram assassinados.

Para o líder do PL, a descriminalização do porte de maconha “é uma tragédia para as famílias e os jovens do Brasil”. “Vai trocar a maconha aonde? Do traficante? Ou vai liberar pra colocar a maconha na farmácia e nos supermercados?”, questionou.


“Temos aqui uma deputada do PSOL, a deputada Samia, querida entre nós, apesar de ideologicamente não estarmos no mesmo campo, que teve um irmão brutalmente assassinado no Rio de Janeiro por traficantes e milicianos. E o que alimenta o tráfico e a milícia? As drogas”, disse Altineu.


“Por favor, não use a dor da nossa família para seus interesses políticos. Lave a boca para falar do falecimento do irmão de Sâmia”, advertiu o psolista. “Se nós quiséssemos de alguma forma tratar de saber de onde vão sair os grandes volumes de drogas, provavelmente perguntaríamos ao ex-presidente que o senhor apoia”, acrescentou.


Em seguida, Altineu acusou Glauber de descontrole e de “arrumar confusão com todo mundo”. “Vossa excelência deve tomar um remédio, deve estar fora de si, porque o assassinato do seu cunhado afetou o Brasil inteiro, as famílias do Rio de Janeiro choraram, do Brasil choraram. Não uso para benefício pessoal, não”, disse.


Entre no nosso grupo de WhatsApp AQUI.

Entre no nosso grupo do Telegram AQUI.


Ajude a fortalecer nosso jornalismo independente contribuindo com a campanha 'Sou Daki e Apoio' de financiamento coletivo do Jornal Daki. Clique AQUI e contribua.

POLÍTICA