top of page

Anabel Andrés: 'A arte como coragem e compromisso' - por Regina Alves


Um poema cabe mundos e por falar em mundo fui logo Ali para compartilhar esse vindo de Porto Rico através da mente inventiva do Roberto Ncar.

 

um poema não é uma reclamação um poema é um enunciado importante uma declaração essencial um poema um poema sem problemas clareia minha mente Tira-a do campo habitual poema que escrevo pensando em alguém poema com título que eu me reservo poema nascido do mundo que eu observo verso surgido da contemplação Aspira a ser canção no meio dos meus sonhos texto que eu misturo ao diário fruir É como se eu quisesse fugir. da solenidade Me tornando comediante vertical frente a frente Massas de frentes relaxadas rindo de mim das minhas palavra

Roberto Ncar ( Poeta e Artista Visual de Porto Rico Roberto Ncar - conheça mais o trabalho dele em seu perfil https://www.facebook.com/roberto.ncar).

 

MARATONA? SIMMMMMMMM e CULTURAL - Você conhece o CIRCUITO DANDÔ? Caso ainda não conheça da uma conferida na lindeza de conteúdo com foco na Arte, Cultura e Educação. Linkr.ee/circuitodando https://youtube.com/c/CircuitoDand%C3%B4BR - Quem ainda não foi a GNOMOLÂNDIA bom sujeito não é. E nessa levada que te convido para conhecer esse projeto incrível desse ser de luz Varno O Nômade. A página éMulti Verso do Gnomo. Isso mesmo Gnomo e ENcantaMOR. Além de curtir os Saraus, eventos e desafios propostos por Varno O Nômade, você que é Artista pode fazer parte desse Movimento de Onda podendo até virar um Gnomo. Isso mesmo, gnomo. Quer saber mais sobre a GNOMOLÂNDIA? Acesse o link abaixo que você vai gostar. https://instagram.com/multiverso_do_gnomo?utm_medium=copy_link

- A Live que nos envolve na batida da Canção sob a batuta de Chico Viola acontece segundas, sextas e sábados. A live VIOLERS. A live que traz um tantinho do Nordeste e abraça a Arte do Brasil todo. Bora? Saiba mais na página do Mestre Chico Viola. https://instagram.com/chicoviola1?utm_medium=copy_link

- Tertúlia Com Vc tem lives sempre de trocas construtivas através da batuta do Ativista Sociocultural e Poeta Tacio Dê.

- Desconstrução e Construção do Ator Personagem deste sábado vem assim. No 1° Bloco às 18:30H receberemos a Mulher, Advogada, Professora Luciana Madureira e no 2° Bloco será com Ciclos de textos com Leituras Dramatizadas.


- Dia:26/09 às 21:30H na Cia Entuarte vai rolar a peça Curta: UM DIA DE UBER. O texto é uma construção a quatro mãos do elenco da Cia. Com Direção Regina Alves, Texto de: Sandra Abreu, Ana Raiol, Tassio Pirani e Regina Alves.

Classificação Indicativa 14.

https://instagram.com/entuarte? anosutm_medium=copy_link


- E fique Ligado que vai rolar a Feira FLISBA dos dias:23, 24 e 25 e terá as versões online e para saber mais acesse a página do Instagram da Feira.

QUER FAZER CURSOS E MUDAR O CURSO DE SUA VIDA? E ATÉ MESMO SE APRIMORAR? Olhe as dicas.

Cursos Livres de Teatro Básico e Leitura Dramatizada com Regina Alves. Curso Livre de Teatro Básico ( seis meses de duração/turmas em julho). Curso de Leitura Dramatizada (dois meses de duração). Com novas turmas em aberto. Curso para Oficeneiros e Palestrantes com cinco encontros. Os cursos tem certificados. Temos turmas aos sábados de teatro com encontros todos os sábados. Cursos livres com preços populares. Para saber mais e-mail: regginalves@gmail.com WhatsApp: (21) 99809-6294 Instagram - @regginalves https://instagram.com/regginalves?utm_medium=copy_link


- Dança do Ventre com a Coreógrafa, Professora Malim Ciurcio. Atua na Dança do Ventre e Dança Folclórica Árabe. Método Agnes. Contatos: (19) 99219 0311

- CIADRACA Produção Artística é uma produtora e escola de Artes , sediada em Pedra de Guaratiba, Zona Oeste do RJ. Projetos: Canal Identidade Cultural.


Atelier Arte Everaldo Rocha está com curso pra você que que aperfeiçoar a técnica da pintura ou começar do zero. Pra saber mais acesse o link abaixo ou entre em contato pelos números. +55 21 98746-9454/ +55 21 98881-9756

Um TOUR PELA PRAÇA XV - Já pensou em curtir um passeio bacana em vários espaços Culturais a pé? Bom, em parte sim...


- Parte Um . Bom após a Proclamação da República a Praça XV passou a ter esse nome. Para quem vem da Zona Norte, Zona Oeste, Zona Sul, Serrana e Interior do Rio irá passar pela Central do Brasil e quem vai de Barcas tem a vantagem de já sair em frente. Alguns passeios ali no entorno. Num tour (caminhando sentido desembarque das Barcas). Você pode caminhar seguindo sentido Arcos da Lapa, e Conhecer a Escadaria Celaron, o Bondinho de Santa Tereza, assim como a biblioteca Nacional, o Teatro Municipal.

Instituto de Pesquisas e Memórias Pretos Novos (Museu Preltos Novos - Rua Pedro Ernesto 32 e 34 -Gamboa /RJ tel: (21)2516-7089).


- Parte Dois - Para quem curte Museus e novos olhares pode seguir sentido Espaço Banco do Brasil. O maratoneiro Cultural pode seguir indo de VLT (prefiro a pé/ você conhece melhor os pontos históricos). Pode começar seu passeio curtindo a enorme prancha de surf e seguir para o lado esquerdo sentido Museus da Marinha. Seguindo por dentro do Museu da Marinha ele te dá acessos ao Museu do Amanhã e que também lhe dará acesso a Igreja da Candelária. Após esse tour você pode ir aos museus dos Correios e CCBB. Seguindo mais a frente o viajante cultural passará pelos paines da Altura de um prédio que trás em sua temática causas sociais urgente. Além da beleza e criatividade dos grafites tem um clamor, paixão e denúncias. Indo mais adiante você pode seguir sentido a Roda Gigante.



DICA DE LEITURA - Conheça o trabalho do Compositor, Poeta, Ativista, Roteirista e Documentarista Haroldo César.

Autor dos livros:

✓ Toda Família Sambista - Romance

✓Limpeza Urbana, Limpeza HUMANA -

✓Vida de Gari - Crônicas

Para adquirir seus trabalhos entrar em contato via Instagram https://instagram.com/haroldocesar62?utm_medium=copy_link


Entrevista PING-PONG em - A ARTE SEM FRONTEIRAS é com a Performer, Cantautora, Artista do Movimento e Buscadora Anabel Andrés que também integra o Vozes Bugras.

1. Seu nome? Anabel Andrés 2. O que te move na arte? Criar, exercer um espaço de liberdade, consciência e sensibilidade, ressignificar, compartilhar sentidos, refletir e provocar reflexão sobre o que é preciso transformar, somar nas causas que podem tornar o mundo mais igualitário, justo, afetuoso, bacana pra todes, trocar energia, reconectar com a Terra, fazer ver que somos parte dEla, mas também relaxar, gozar momentos de deleite e celebração, amor, raiva, experimentação. Qualquer ventinho já tá me movendo!

3. Quais são suas maiores inspirações e transpirações? A inspiração vem de muitos lugares, pessoas, dimensões… A natureza me inspira muito. A Grande Mãe, Gaia, esse organismo cósmico do qual somos parte. A percepção da vastidão do Universo e a gente aqui em nossas vidas tão ínfimas e tão imensas!

Me inspiram as lutas por igualdade social, pela demolição dos preconceitos e exclusões estruturais da nossa cultura que normalizam o genocídio indígena e negro, o feminicídio, ou qualquer tipo de totalitarismo. Me inspira a inclusão, a luta antimanicomial, o respeito às crianças e velhos.


Me inspiram pessoas que se dão por inteiro e deixam o mundo diferente como Marielle Franco, Clarice Lispector, Erundina, Martin L.King, São Francisco, Ailton Krenak, Davi Kopenawa, Inezita Barroso, Luli e Lucina, Nina Simone, Rita Lee, Gil, Caetano, Dércio e Doroty Marques, Chiquinha Gonzaga, Joseph Beuys, Pink Floyd, tanta gente... Pessoas que ao longo da vida me marcaram e considero mestras e mestres que eu levo no meu corpo, nas minhas fibras, células, como tatuagens na alma, incorporadas/os, como Maria Mommensohn, Stênio Mendes, Penha de Souza, Fernando Barba, Claudinei Roberto, Xeramoi Laurindo Tupã, Jerá Guarani, minha irmã Adriana e minha família (avós, mãe, pai, com suas corajosas travessias) me inspira abrir caminho pra quem virá depois de mim, minha irmandade artística, manas Vozes Bugras (Anun Rosa, Dani Lasalvia, Uli, Cassia Maria, Tiane Tessaroto, Célia Gomes, Lucimara Bispo, e todas que passaram pela grupa), Priscila Magella, Pati Zuppi, Claudia e Kika de Souza, Luiz Valentim, companheiras e companheiros de Núcleo Orgânico, Orquestra do corpo, Projeto Dandô e tanta gente maravilhosa com quem mergulho no fazer artístico, na poesia, na arte como trabalho e caminho.

Agora, a transpiração é pra conjugar o corre pra garantir o sustento e elaborar uma obra consistente, fazer projetos criativos e relevantes, e tentar organizar um quebra cabeça diário pra caberem as tarefas de Sísifo de casa, cuidar e dar carinho e atenção pra família e os bichanos, e tentar achar brechas pra me recarregar e centrar, estudar, pagar contas, cuidar das redes sociais, fazer lives e outros vídeos e parcerias, enfim… o relógio sempre foi um desafio pra mim! Ainda vou aprender a planejar melhor um dia.

4. O que te incomoda em sua composição, onde mais canaliza sua escrita (arte)? O que me incomoda é não conseguir manter uma rotina de estudo e treino diário da técnica, talvez isso seja falta de disciplina, e não só de tempo. Onde mais canalizo minha arte varia, mas sinto que tenho um compromisso com a questão ambiental, a transformação de nossas atitudes em relação a nosso corpo Terra, em relação à ganância que destrói e submete as pessoas ao sofrimento para que poucos vivam no luxo. 5. Quem é você, e como se define? Não me defino definitivamente, sou um ser em movimento, uma mulher em construção/desconstrução permanente, aprendiz de feiticeira. Mas acho que o nome do meu álbum, também reflete muito de mim: Além da expansão dos desertos. Embora esse nome venha do poema do Luiz Valentim, parceiro querido que se encantou, mas segue comigo. 6. Qual a dica ou fala que você deixa para quem quer começar na arte ou que se descobriu na arte? Abraçar a arte como trabalho requer coragem e compromisso, porque ainda há muitos estereótipos que desvalorizam o nosso suor, como se tudo que produzimos fosse só entretenimento, ou tivesse que estar num determinado padrão do mercado que está em alta naquela época. Mas uma vez que a gente sinta que esse é nosso caminho de realização, é preciso ser resiliente, persistente, e criativa, não tem acomodação, e como diz a canção de Fernando Brant e Milton Nascimento “tem que ir aonde o povo está”, envolver-se com a vida como um todo.

7. A Arte vem sendo massacrada nos últimos tempos. E tivemos perdas consideráveis. E em tempos Pandêmicos vimos como a arte cura, ajuda e liberta nesses tempos de reclusão social. Diga uma palavra para os artistas independentes e a arte INDEPENDENTE que tanto vem sofrendo em tempo de reclusão. Talvez uma boa coisa pra se pensar nestes tempos seja em como podemos colaborar com nossa arte, com nossa humanidade pra solidarizar com quem está numa pior mesmo, pra tornar melhor nossa sociedade e o mundo melhor. Convido a pensar naquele ideograma japonês que se traduz tanto como crise como oportunidade. 8. Onde te acho nas redes sociais e contatos? https://www.instagram.com/anabelica/ https://www.facebook.com/anabelica/ https://www.youtube.com/Anabelica https://anabelica.blogspot.com/ Meu álbum está em todas as plataformas - https://tratore.com.br/smartlink/anabel e tem também os links das Vozes Bugras: https://www.instagram.com/vozesbugras/ https://www.facebook.com/vozesbugras https://www.youtube.com/vozesbugras https://vozesbugras-br.blogspot.com/ 9. Como quer que sua arte seja lembrada? Como uma obra que toca fundo, que inspira, entusiasma, transforma.


***

Regina Alves é atriz, autora e produtora cultural.