top of page

Animação 'brasileira-russa' produzida em São Gonçalo é lançada no YouTube

O desenho animado "Os Cães da Praça" é da produtora Somos Moinhos de Vento

Foto: Reprodução Youtube
Foto: Reprodução Youtube

A frase "Não existe outro paraíso" (em russo: Нет иного рая), pode ser subjetiva ou um tanto quanto inspiradora em nosso cotidiano. Mas no caso da produtora Somos Moinhos de Vento, de São Gonçalo, esse lema, que na verdade, é um título de uma música da banda russa ПилОт (Pilot), de São Petersburgo, serviu para batizar o terceiro capítulo do desenho animado "Os Cães da Praça", lançado neste mês de junho, no YouTube.


Esse episódio é a continuação da animação "Cosmonauta de Mármore" (produzido no ano passado) e além das críticas habituais através de um humor cartunista e usando animais como personagens, o roteiro também tem como proposta em estimular a reflexão entre as pessoas de como elas se relacionam com as outras.


Como você se sentiria estando longe e com saudades de seu amor em um paraíso próximo ao mar, onde você tem de tudo e não pode reclamar? Pois é, esta é a realidade do gato cosmonauta russo que aterrissou, de forma repentina, na comunidade dos Cães da Praça, mas sem saber quando e como irá voltar ao seu país. E os que vivem perto um do outro continuam distantes, como por exemplo, o vira-lata Dom continua sem coragem para se declarar a Pérola, uma labradora de personalidade forte que está ficando com o pitbull Icaraí, um sujeito metido a valente que pensa que é seu namorado.



Enquanto isso, o rato argentino Roa, faz de tudo para ficar sozinho embora nunca consiga realizar esse objetivo. Já o nosso outro vira-lata, o Orelha Seca, não consegue ultrapassar a barreira da amizade para conquistar a border collie, Zoe, que é uma cientista nordestina que possui deficiência visual e que trabalha demais. Ela fica isolada em seu próprio mundo de experimentos científicos", explicou o Somos Moinhos de Vento, em sua sinopse.

Com tantas misturas de referências e sotaques, a produtora composta pelo jornalista Rennan Rebello, o artista visual Wemerson Peu e o fotógrafo Narciso Mauricio, também se preocupou com a trilha sonora. Tanto que toda parte musical foi feita pelo trio, que compôs uma canção instrumental intitulada como "O Morcão" e "Я вернусь, моя дорогая (Eu voltarei, minha querida)", esta última tem a letra em russo. Além da parte criativa, eles prospectam novos mercados fora do Brasil para explorar com o desenho animado, que tem adultos, como público alvo.

"O nosso objetivo é sempre produzir de forma 100% autoral , contudo, temos muitas referências em nossa criação. Na parte musical, por exemplo, nós criamos uma banda para termos nossas próprias canções. O grupo que criamos se chama Espião Шпион (pronuncia: shipion, que significa espião na língua russa). Este nome faz uma homenagem ao Spy vs Spy, banda de surf music australiana, que queríamos homenagear de alguma forma porque eles sempre falaram, de forma crítica, sobre temas sérios e sociais que precisam ser debatidos através da arte, como: xenofobia, economia e etc. E é o que queremos fazer com os 'Cães da Praça', falar sério por meio da animação. E a referência à Rússia é porque além do Brasil e Portugal, e os demais países lusófonos e da nossa América Latina, também acreditamos muito no mercado com falantes de russo. Vale lembrar que não é apenas na Rússia, que se fala este idioma, uma vez que todos os ex-países da antiga URSS também entendem russo, que é uma das línguas oficiais da ONU (ao contrário da nossa língua portuguesa, que ainda não é). Em suma, queremos buscar outras referências indo além das influências de sempre oriundas dos EUA, que sem sombra de dúvidas, também é um mercado importantíssimo. No entanto, estamos priorizando os espectadores que falam português, russo e espanhol. Também destacamos que a produção da Rússia, em audiovisual é excelente. Em suma, queremos mostrar o Brasil aos russos e aos nossos vizinhos da América Latina e a Rússia aos brasileiros e outros latino-americanos", revelou o Somos Moinhos, em nota. Além da criatividade e planejamento para a produção e execução dos projetos audiovisuais, o Somos Moinhos de Vento, conta com a parceria como um fator crucial para dar vida e alma aos seus pojetos. Neste episódio por exemplo, além do 'trio Moinhos' da participaram da dublagem: Ana Paula Figueiredo, o português Carlos Coelho e Darc Freitas, que interpretaram Zoe, Xutes e Tal, respectivamente. Na consultoria em idioma russo, a produtora contou com a colaboração da russa Anna Metelska, radicada no Brasil, que auxiliou o Rennan, na pronúncia para dublar o personagem Cosmo e cantar a música tema. "Foi muito interessante e enriquecedora essa experiência, gostei muito. O personagem Tal é a minha cara. Pois o cão São Bernardo é aquele cara ajudador, que socorre as outras pessoas no meio das tempestades. e eu me identifico com ele porque gosto de ser um trabalhador dos bastidores que ora dá uma força para um e ora para outro, que sempre participa de projetos coletivos sem querer ser protagonista de nada. Então, o Tal, sou eu, com certeza. A condução na direção e a paciência do Peu foi magistral e fundamental para sair um trabalho bom. Enfim, amei o trabalho e espero que a minha cidade de São Gonçalo reconheça a contribuição que o Somos Moinhos de Vento vem oferecendo à ela...", disse Darc, que também lembrou de uma pessoa de seu passado durante a produção. "Quando vi o personagem Cosmo, me lembrei de um amigo russo, o Filipe Bakun, que dizia que eu era como um pato: voava pouco, nadava pouco e andava pouco, um cara versátil que fazia de tudo um pouco, e eu gostava dessa definição dele. Ele era alfaiate e confeccionou o primeiro terno que eu tive na vida e me deu de presente. O Filipe morava sozinho num prédio ali, na Rua do Lavradio, no Centro do Rio, era bem velhinho, tinha 92 anos, isso foi em 1981 e com certeza já faleceu, e como era sozinho e eu era um dos seus poucos amigos, a gente conversava muito, era um bom homem. Eu sempre o visitava em seu atelier matando o horário de trabalho e ficávamos horas conversando. Ele me chamava de 'senhora Darc' com o sotaque russo", relembrou. Para quem quiser assistir o episódio "Não existe outro paraíso" (Нет иного рая) e os demais capítulos, basta acessar e se inscrever o canal Os Cães na Praça, no YouTube. E para acompanhar as novidades e os bastidores, basta seguir a página@oscaesdapraca no Instagram.


 

Ajude a fortalecer nosso jornalismo independente contribuindo com a campanha 'Sou Daki e Apoio' de financiamento coletivo do Jornal Daki. Clique AQUI e contribua.