top of page

Brasil é o país que mais mata pessoas trans no mundo pelo 14º ano consecutivo

Brasil é líder absoluto de assassinatos com 37,5% dos casos

Manifestação na Praia de Copacabana lembra as vítimas da transfobia no Brasil Tomaz Silva I Agência Brasil
Manifestação na Praia de Copacabana lembra as vítimas da transfobia no Brasil Tomaz Silva I Agência Brasil

O Brasil registrou o assassinato de 131 pessoas trans e travestis em 2022. O número faz parte do "Dossiê Assassinatos e violências contra travestis e transexuais brasileiras", da Antra (Associação Nacional de Travestis e Transexuais).


De acordo com o relatório, entregue nesta quinta (26) ao ministro dos Direitos Humanos, Silvio de Almeida, o Brasil é o país com mais mortes de pessoas trans e travestis no mundo pelo 14º ano consecutivo. México e Estados Unidos aparecem em 2º e 3º lugares respectivamente. As informações são fo UOL.



O dossiê aponta que a quase totalidade das mortes (130) foi de mulheres trans e de travestis, que têm até 38 vezes mas chances de ser assassinadas que o restante da população em perspectiva de gênero no Brasil.


Brasil: líder absoluto em mortes



Dados de 80 países reunidos pelo projeto internacional Trans Murder Monitoring (monitoramento de assassinatos de pessoas trans, em tradução livre) mostram que, das 4.639 mortes registradas entre 2008 e setembro de 2022: 1.741 ocorreram no Brasil (37,5% do total); 649 no México (14%); 375 nos Estados Unidos (8%).


O levantamento indica ainda que 68% dos casos acontecem na América Latina e Caribe.

 

Ajude a fortalecer nosso jornalismo independente contribuindo com a campanha 'Sou Daki e Apoio' de financiamento coletivo do Jornal Daki. Clique AQUI e contribua.


POLÍTICA