top of page

Cariani à sócia: ‘Vamos arrumar a casa e fugir da polícia’

Mensagem foi interceptada pela Polícia Federal

Renato Cariani/Foto: Reprodução
Renato Cariani/Foto: Reprodução

DCM - A Polícia Federal revelou que Renato Cariani, influenciador e sócio da empresa Anidrol, tinha conhecimento dos desvios de substâncias químicas feitos pela companhia e sabia também que estava sendo monitorado pela polícia.


Em uma troca de mensagens obtida pela investigação, pouco antes da operação da PF, Cariani diz o seguinte a outra sócia da companhia: “Poderemos trabalhar no feriado pra arrumar de vez a casa e fugir da polícia”.


A sócia do influenciador bolsonarista diz, em outra troca de mensagens, que seria possível “retirar o rótulo” dos produtos para ludibriar as investigações.



A operação realizada pela PF visava desarticular uma organização que desviou toneladas de produtos químicos para a produção de drogas, apreendendo 12 toneladas avaliadas em R$ 6 milhões.


Entre os produtos estavam fenacetina, acetona, éter etílico, ácido clorídrico, manitol e acetato de etila, suficientes para produzir 19 toneladas de cocaína e crack. Cariani é suspeito de envolvimento no esquema que já dura seis anos.


A PF destacou que a operação resultou na apreensão de documentos e produtos durante buscas na casa de Cariani. A PF ainda apura a relação entre Cariani e Fabio Spinola, suspeito de ser o intermediador entre a indústria química e os produtores da droga.


Os produtos apreendidos, utilizados para refino e adulteração de drogas, visavam aumentar o volume do produto final em até 80%, segundo o delegado Fabrizio Galli. As substâncias eram destinadas à produção de crack com pureza entre 20% e 30%.


Entre no nosso grupo de WhatsApp AQUI.

Entre no nosso grupo do Telegram AQUI.

 

Ajude a fortalecer nosso jornalismo independente contribuindo com a campanha 'Sou Daki e Apoio' de financiamento coletivo do Jornal Daki. Clique AQUI e contribua.



POLÍTICA