top of page

CIUG tem 60% de corte de verbas e pode fechar as portas em São Gonçalo

Funcionários e estudantes da única escola municipal pública de línguas e informática da cidade criaram abaixo assinado em protesto


Por Cláudio Figueiras

Escola fica no Porto da Madama/Foto: Jornal Daki
Escola fica no Porto da Madama/Foto: Jornal Daki

O CIUG (Centro Interescolar Ulisses Guimarães), uma das melhores escolas de línguas e tecnologia em informática do Estado do Rio de Janeiro, corre o risco de fechar as portas por falta de verbas. A unidade de ensino, fundada no ano 2000, é gerida pela Secretaria de Educação de São Gonçalo (Semed) e atende cerca de 1.700 estudantes.


Segundo denúncias de professores e profissionais de apoio, que pediram anonimato, o Ciug teve a verba mensal cortada em 60% pela Prefeitura, passando de R$ 5 mil a R$ 2 mil, valor insuficiente para arcar com despesas de internet, insumos de consumo diversos e material de limpeza do prédio, localizado em frente à antiga estação ferroviária do Porto da Madama, entre os bairros do Paraíso e Porto Velho.


"Sem a verba, teríamos que cortar a Internet, fundamental para as aulas, já neste mês de maio. Os professores precisam da ferramenta para acessar os livros e os slides apresentados aos alunos, por exemplo. Isso, na prática, vai inviabilizar nosso trabalho", disse um dos funcionários.


Para reverter a situação, que condenaria a única escola municipal, pública e gratuita de línguas e de informática do Estado do Rio de janeiro ao encerramento de suas atividades, professores, funcionários, atuais e ex-estudantes e comunidade gonçalense em geral, se mobilizaram em um abaixo-assinado para protestar contra a redução de verbas do Ciug anunciada no final de março pelo governo Nelson Ruas (PL).



O documento já conta com mais de 3.300 assinaturas na plataforma Change.org.


Esperamos contar com o bom senso da gestão atual da Prefeitura Municipal de São Gonçalo para que seja revisto e incluído em orçamento financeiro de forma consciente e emergencial a verba de R$ 5.000 que vem sendo recebida, levando em conta as prioridades da Unidade Escolar”, declaram no abaixo-assinado.


E o protesto, que deu enorme visibilidade à causa atraindo a solidariedade dos gonçalenses, pode ter dado certo.


Na última segunda (18), o secretário de Educação, Mauricio Nascimento, depois de procurado pela Coordenação do Ciug, anunciou que o corte foi revisto pela Pasta. A verba, na verdade, será reajustada de R$ 5 mil para R$ 7 mil a partir de maio, pois, de acordo com Nascimento, o Ciug "se diferencia das demais unidades por sua especificidade na quantidade de material eletrônico, como lousas digitais e equipamentos de informática".


O pioneiro e único projeto de ensino de línguas do Ciug teve um início modesto no começo dos anos 1990 com cursos de Inglês e Espanhol. Em 2000, último ano do governo do prefeito Edson Ezequiel, sua sede foi inaugurada ampliando a atuação na cidade com os cursos de Francês, Redação e Informática.


Os cursos de Francês e Redação foram os únicos que ainda não voltaram após arrefecimento da pandemia da Covid-19.


Ciug Alive!

Vive el Ciug!

Vive le Ciug!

01110110 01101001 01110110 01100001 00100000 01101111 00100000 01100011 01101001 01110101 01100111

 

Ajude a fortalecer nosso jornalismo independente contribuindo com a campanha 'Sou Daki e Apoio' de financiamento coletivo do Jornal Daki. Clique AQUI e contribua.



POLÍTICA