top of page

Desembargadora se aposenta com R$ 37,5 mil por mês após ficar 73 dias no cargo

A juíza já havia sido aposentada compulsoriamente pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) em 2010

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

DCM - Após 73 dias no cargo de desembargadora do Tribunal de Justiça do Mato Grosso (TJ-MT), a juíza Graciema Ribeiro de Caravellas se aposentou e vai receber integralmente o salário que tinha ao ocupar o posto. Ela foi promovida em outubro de 2023, por unanimidade entre magistrados, seguindo um critério de antiguidade.


Ela, que atuava como juíza de primeiro grau da Câmara de Direito Público e Coletivo da corte, se tornou desembargadora por ser a magistrada mais antiga. Nesta quinta (11), ela pediu aposentadoria por ter completado 75 anos. Fora de atividade, ela vai receber R$ 37,5 mil mensalmente, além de outros benefícios, por seu último cargo ocupado.



Ao longo de 2023, ela recebeu mais de R$ 1 milhão com a soma de seu salário e outros bônus, como benefícios ligados a férias e “direitos eventuais”, que chegaram a adicionar R$ 147 mil ao seu contracheque só em dezembro.


A juíza já havia sido aposentada compulsoriamente pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) em 2010 por suspeita de envolvimento em esquema que teria desviado R$ 1,4 milhão do TJ-MT para a Loja Maçônica Grande Oriente do Estado.


Dez anos depois, a Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) anulou a condenação contra ela e outros magistrados, e determinou imediata reintegração.

Entre no nosso grupo de WhatsApp AQUI

Entre no nosso grupo do Telegram AQUI

 

Ajude a fortalecer nosso jornalismo independente contribuindo com a campanha 'Sou Daki e Apoio' de financiamento coletivo do Jornal Daki. Clique AQUI e contribua.


POLÍTICA