top of page

'Eu acredito é na rapaziada' da Força Tech...


Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Eu acredito é na rapaziada Que segue em frente e segura o rojão Eu ponho fé é na fé da moçada Que não foge da fera e enfrenta o leão Eu vou à luta com essa juventude Que não corre da raia a troco de nada Eu vou no bloco dessa mocidade Que não tá na saudade e constrói A manhã desejada

Gonzaguinha.



O mestre Gonzaguinha tem razão! Essa moçada nos faz acreditar. Pois bem, hoje é aniversário de nossa cidade, comemorando 131 anos de Emancipação. Diante de todo o cenário que vivemos aqui, o que nos dá motivo para comemorar é a rapaziada.


Na última sexta-feira, 17 de setembro, uma rapaziada, gonçalense, do Colégio Força Máxima foram representar nosso Município no evento Força Tech 2021.


O Projeto Força Tech consiste em um grupo de alunos de cada Unidade do Colégio Força Máxima , onde os mesmos têm que criar um protótipo de Startup (ideia de empresa que envolva tecnologia).



Este evento tem a finalidade de ajudar seus alunos a ampliar as visões e possibilidades sobre o mercado de trabalho.


Um grupo composto de sete alunos e professores orientadores, representados por Júlia Peçanha, 17 anos, moradora do Anaia Pequeno; Millena Knosel, 17 anos, moradora do Mutuá e Ana Carolina Costa, 16 anos, moradora do Boaçu, apresentaram um projeto, no qual fez essa rapaziada de São Gonçalo, de regiões entendidas periféricas e de comunidade, ganharem a edição do Força Tech 2021.


O grupo apresentou o projeto de um app da carteira de vacina digital: a CDVAC. "A CDVAC veio para modernizar a sua carteira de vacinação. Além de avisar a data da próxima vacina e o local ode está aplicando, o usuário terá o acesso a todo seu histórico, podendo melhorar a prevenção de doenças e consequentemente controlar sua saúde. Sendo de forma prática, tecnológica e segura, para assim mudar a vida de toda população." O texto de apresentação do projeto.


A.R: Como foi participar do evento e qual a importância dele em sua vida acadêmica?

"Participar do Forçatech foi uma experiência incrível, onde de forma descontraída nossa equipe foi posta para refletir e pensar sobre as questões mais atuais e assim desenvolver uma Startup que possa de maneira tecnológica resolver esta questão. Sendo assim neste processo, foi inevitável não pensarmos na questão da pandemia e os impactos decorrentes dela que a sociedade recebeu. Toda essa reflexão foi importante para que parassemos para analisar tudo aquilo que se estava passando. Fora isso ainda temos as partes técnicas, onde aprendemos sobre vários modelos de rentabilidade, onde lá entendemos um pouco sobre empreendedorismo e também como se organizar economicamente mediante a toda a crise presente no Brasil e demais países." Relata Júlia Peçanha.


A.R: O por quê do projeto ter esse viés (saúde) e não outro? Como foi escolhido este conteúdo?

"Na criação do projeto, observamos que neste momento de pandemia e seus decorrentes acontecimentos como a falta de prevenção, pouca inclusão e descaso total em relação ao material oferecido pelo governo, para comprovar que a vacina contra o covid-19 foi ingerida (aquele papel, que facilmente pode ser perdido), foram-se essênciais para o desenvolvimento do mesmo. O conteúdo foi designado a partir de ideias relacionadas a saúde, onde várias pessoas da nossa turma (200, do Colégio Força Máxima, de São Gonçalo) colocaram seus argumentos, pontos negativos e positivos do atual momento do nosso país, até que pudéssemos chegar nessa grande proposta de criar uma Carteira de Vacinação Digital, a CDVAC. Além de trazer algo prático, seguro e essencial para toda população brasileira." Compartilha Millena Knosel.


A.R: O que vocês esperam ou esperavam com esse projeto? Qual impacto que vocês buscam ou buscavam promover?

"É muito difícil encontrar um jovem ou um adulto que saiba onde está sua carteira de vacinação e quais vacinas você já tomou. Nós esperamos que essa projeto possa resolver uma dor geral da população brasileira. E ainda buscamos conscientizar à todas a importância da vacinação e o que devemos manter nosso calendário de vacinação em dia." Finaliza Ana Carolina Costa.



Quer conhecer um pouco mais do projeto? Acesse o link abaixo. https://app.vc/cdvac


A ficha técnica dessa rapaziada: Nome da escola: -Colégio Força Máxima, unidade São Gonçalo. Diretora da escola: -Eliana Spínola Dono da escola e um dos fundadores do projeto: -Felipe dos Santos. Nome dos jurados: -Leandra Batista -Isabel Fonseca -Leonardo Assis. Nome das representantes do projeto: -Júlia Peçanha, 17 anos, moradora do Anaia Pequeno. -Millena Knosel, 17 anos, moradora do Mutuá. -Ana Carolina Costa, 16 anos, moradora do Boaçu. Alunos que também fizeram parte do projeto: -Ágatha de Azevedo, moradora do Porto da Pedra. -Denair Marins, moradora de Nova Cidade. -Pedro Augusto, morador do Boaçu. -Maria Luíza Albuquerque, moradora do Boaçu. Ambos com 16 anos e todos são moradores de Sãuo Gonçalo Professoras representantes: -Amanda Marinho -Yeda Rodrigues.

Já ouvi alguém dizer "que o que São Gonçalo tem de melhor são os Gonçalenses". Palavras da atriz bonequeira e grande ativista cultural de nossa cidade, Cleise Campos. E é o Gonçalense que nos faz acreditar e lutar na mudança.


Sigamos



POLÍTICA