top of page

Ex-PM que teria ligação com milícia é assassinado na Zona Oeste do Rio

E mais: Homem é executado em casa de veraneio em Maricá, Mulher que tirou fotos nua em delegacia é companheira de policial civil, Acusados de matar Moïse viram réus, Mulheres são maioria das mortes em Petrópolis


Reprodução
Reprodução

Começamos o Rolé desta quarta (23) com a notícia de que na manhã de hoje, um ex-policial militar foi assassinado a tiros, na frente de sua casa, na Rua Projetada G, em Santa Cruz, na Zona Oeste do Rio. De acordo com a Polícia Militar, o 27º BPM (Santa Cruz) foi acionado para uma ocorrência de homicídio e encontraram o homem já sem vida.


A Polícia Civil realizou uma perícia no local e o caso foi encaminhado para a Delegacia de Homicídios da Capital (DHC). Denúncias dão conta de que o ex-policial, identificado apenas como Almeida, era responsável pela segurança dos eventos realizados em Santa Cruz e tinha envolvimento com a milícia da região. Com informações O Dia: Ex-policial militar é assassinado a tiros na Zona Oeste do Rio


Em Maricá, um homem, de 45 anos, foi executado a tiros na madrugada desta quarta dentro de uma casa de veraneio, em Ponta Negra. A Polícia Militar disse que a vítima apresentava cinco perfurações de tiros pelo corpo. A família relatou que não escutou o som dos disparos e que se deparou com o familiar ferido. O socorro foi acionado, mas a vítima não resistiu.


Agentes da 6° Cia foram para o local por volta das 4h, após serem acionados para ocorrência de homicídio no imóvel localizado na Rua Cento e Cinquenta e Sete. Quando chegaram no local, os policiais encontraram o corpo da vítima. Enfoco noticiou: Morto a tiros em casa de veraneio no distrito de Maricá




Na Região do Lagos, o procedimento instaurado pela Corregedoria Geral da Polícia Civil (CGPOL) do Rio constatou que a mulher que fez fotos nuas no interior da 129ª DP (Iguaba Grande), é companheira de um inspetor da corporação lotado na unidade. As imagens que viralizaram na internet, em setembro do ano passado, fariam parte de um sonho da moça, que disse ter fetiche de praticar relações sexuais em repartições públicas. O policial segue afastado das suas funções. Mais informações no Extra: Mulher que tirou fotos nua em delegacia é companheira de policial civil


No Rio de Janeiro, a Justiça aceitou a denúncia do Ministério Público contra três acusados pelas agressões que provocaram a morte do congolês Moïse Kabagambe na noite de 24 de janeiro em um quiosque na Barra da Tijuca. A decisão foi assinada pela juíza Tula Correa de Mello, da 1ª Vara Criminal da Capital.


Fábio Pirineus da Silva, o Belo; Aleson Cristiano de Oliveira Fonseca, o Dezenove; e Brendon Alexander Luz da Silva, o Tota vão responder por homicídio triplamente qualificado em razão do crime ter sido praticado por motivo fútil, com emprego de meio cruel e com recurso que impossibilitou a defesa da vítima. Na decisão, a magistrada também decretou a prisão preventiva dos três acusados. Vimos na Tribuna: Acusados de matar congolês viram réus


Finalizamos o Rolé de hoje com notícia de que a tragédia de Petrópolis já tem 182 os mortos confirmados desde o temporal que atingiu a cidade no último dia 15. Uma semana após a tragédia, 111 mulheres perderam suas vidas, o que representa 60,6% do total das vítimas. As outras 72 pessoas que vieram à óbito são do sexo masculino.


Os dados estão sendo divulgados pela Defesa Civil municipal e pelo Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro. Ainda conforme os números atualizados, dos 183 mortos, 32 são crianças. O Instituto Médico Legal (IML), vinculado à Polícia Civil, é o responsável pelo processo de identificação das vítimas. Até o momento, 152 corpos foram liberados para sepultamento. Informações com O Fluminense: Mulheres são maioria das mortes em Petrópolis

 

Ajude a fortalecer nosso jornalismo independente contribuindo com a campanha 'Sou Daki e Apoio' de financiamento coletivo do Jornal Daki. Clique AQUI e contribua.