top of page

Exposição no Centro celebra 80 anos do embarque de tropas do Brasil para Segunda Guerra

Mostra está em cartaz no Centro Cultural Correios com entrada gratuita

Foto: Capitão Braga/Museu Histórico do Exército e Forte de Copacabana
Foto: Capitão Braga/Museu Histórico do Exército e Forte de Copacabana


A exposição tem como foco a Força Expedicionária Brasileira (FEB), como foi chamado o grupo enviado à Europa em 1944. "Entre os dias 30 de junho e 1° julho os militares do primeiro escalão embarcaram no navio. No dia 2 de julho foi a partida para Itália e 14 dias depois o grupo desembarcou em Nápoles", relembra o chefe da divisão de museologia do Museu Histórico do Exército e Forte de Copacabana (MHEx/FC), capitão Braga.



Ao todo, cerca de 25 mil militares foram enviados para a Segunda Guerra Mundial. 467 pracinhas, como eram chamados os soldados brasileiros durante a Guerra morreram nos campos de batalha. 2.700 foram feridos ou ficaram mutilados.


A exposição é intitulada "E a cobra fumou: o Brasil na Segunda Guerra Mundial", uma alusão à desconfiança da população sobre a participação do país. "Muita gente na época duvidava que o Brasil pudesse efetivamente participar da guerra. A ideia era de que seria mais fácil ver uma cobra fumando do que o Brasil participar da guerra. E acabou acontecendo. Por isso a cobra fumando foi incorporada como símbolo da FEB", conta o capitão.



Além das batalhas propriamente ditas, a exposição aborda temas como o papel das enfermeiras e do serviço de saúde, a importância das correspondências e jornais e as músicas compostas pelos "pracinhas".


O evento é uma iniciativa da diretoria do Patrimônio Histórico Cultural do Exército, junto com o Museu Histórico do Exército e o Forte de Copacabana. O público pode visitar de terça-feira a domingo, das 12h às 19h, até o dia 10 de agosto. A entrada é gratuita.


O Centro Cultural Correios fica na Rua Visconde de Itaboraí, 20, Centro.


*Com informações O Dia


Nos siga no BlueSky AQUI.

Entre no nosso grupo de WhatsApp AQUI.

Entre no nosso grupo do Telegram AQUI.

 

Ajude a fortalecer nosso jornalismo independente contribuindo com a campanha 'Sou Daki e Apoio' de financiamento coletivo do Jornal Daki. Clique AQUI e contribua.


POLÍTICA