top of page

Fama 'era uma prisão' para Michael Jackson, diz ex-guitarrista

Jennifer Batten comentou que Rei do Pop teve vida 'cheia de dor'

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

A guitarrista Jennifer Batten, 66, que dividiu o palco com Michael Jackson por dez anos, falou sobre o Rei do Pop nesta terça-feira (25), quando a morte dele completa 15 anos. A musicista disse que o artista encarava a fama como uma prisão e que ele teve uma vida “cheia de dor”.



“Acho que as pessoas de fora pensam que alguém com tanta fama deve ser feliz. Ele não tinha liberdade para ir embora ou parar quando quisesse”, começou. Para ela, sua vida “era uma prisão, porque sempre que ele queria ir à livraria ou ao cinema, tinha que ter seis seguranças para providenciar isso. Era 50% fama e 50% dor”.



A declaração de Batten foi dada em entrevista ao jornal britânoco The Sun, publicada nesta terça pela ocasião do 15º aniversário de morte de Michael.


A guitarrista foi escolhida pelo astro musical em uma lista com mais de cem outras para tocar com ele. Ela esteve presente em todas as turnês mundiais do Rei do Pop de 1987 a 1997.


*Com informações CNN


Nos siga no BlueSky AQUI.

Entre no nosso grupo de WhatsApp AQUI.

Entre no nosso grupo do Telegram AQUI.

 

Ajude a fortalecer nosso jornalismo independente contribuindo com a campanha 'Sou Daki e Apoio' de financiamento coletivo do Jornal Daki. Clique AQUI e contribua.

POLÍTICA