top of page

Flexibilização das máscaras: Rio estuda dispensar uso em novembro; Niterói suspende nas praias

Prefeituras explicam que a motivação para liberar parcialmente dispensa da máscara está pautada no índice de vacinação

Foto: Buda Mendes/Getty Images
Foto: Buda Mendes/Getty Images

Brasil de Fato - Com o andamento do calendário de vacinação contra a covid-19 no Rio de Janeiro e região metropolitana, a flexibilização da obrigatoriedade do uso de máscaras vem sendo debatida pelos municípios. Na capital, a prefeitura avalia liberar parcialmente o uso a partir de novembro. Já a cidade de Niterói liberou a suspensão do uso na área das praias, com distanciamento mínimo de 1 metro, na sexta (1).



Vale lembrar que a máscara ainda é o principal meio de conter, como proteção individual e coletiva, a transmissão do vírus que ainda está em circulação no mundo todo e não está controlado.


As prefeituras explicam que a motivação para liberar parcialmente a dispensa da máscara está pautada na porcentagem da população vacinada com o esquema vacinal completo. Na cidade do Rio, as duas doses da vacina já foram aplicadas em 57,9% da população, enquanto Niterói soma 62,4% da população vacinada.


De acordo com o secretário municipal de Saúde do Rio, Daniel Soranz, a cidade avalia liberar a população do uso de máscaras parcialmente em novembro. O assunto foi debatido na entrevista coletiva da divulgação do 39° boletim epidemiológico do município, nesta sexta (1).


“A gente entende que é cada vez mais difícil manter a população usando máscara. Não é simples nesse momento. Vamos completar dois anos de pandemia. Mas nosso entendimento é que não se pode abolir o uso de máscara no Rio. No mês de outubro, a gente alcançará 65% da população totalmente vacinada, e liberamos mais atividades. Em novembro será um momento mais propício para discutirmos isso”, disse.


A dispensa do uso de máscara está prevista no calendário de reaberturas do município elaborado pelo Comitê Científico de Enfrentamento à Covid-19 (CEEC), que se baseia não em datas, mas em níveis de cobertura vacinal.



Segundo o cronograma, quando a população total do Rio atingir 75% de cobertura com as duas doses da vacina, a proteção facial passará a ser exigida apenas em ambientes hospitalares e transportes públicos. Não há previsão de dispensa total do uso de máscara.


Já em Niterói, a previsão é de que a partir do mês de novembro o uso da máscara também seja suspenso para atividades físicas ao ar livre, com distanciamento de 1 metro. Neste mês, a estimativa é de que a cobertura vacinal chegue a 100% da população acima de 18 anos.


Em janeiro de 2022, está prevista a suspensão da obrigatoriedade da máscara em locais abertos, exceto para pessoas dos grupos de risco, como imunossuprimidos, gestantes e idosos. No primeiro mês do próximo ano, a estimativa é de que 100% da população acima de 12 anos esteja vacinada e também que 100% das doses de reforço sejam aplicadas nos grupos de risco.



POLÍTICA