top of page

Governo Lula suspende implementação do novo ensino médio

Portaria deve ser publicada nos próximos dias

Ministro da Educação, Camilo Santana, ao lado do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Foto: Reprodução
Ministro da Educação, Camilo Santana, ao lado do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Foto: Reprodução

DCM - O governo Lula vai suspender a implementação do novo ensino médio nos próximos dias. Após críticas e pressão de educadores e estudantes, a gestão petista deve publicar uma portaria para interromper o prazo de implementação da política, além de suspender as mudanças no Enem (Exame Nacional do Ensino Médio). A informação é da Folha de S.Paulo.

A suspensão ocorre, inicialmente, no período em que dura o prazo da consulta pública sobre a reforma, que foi iniciada em março e ficará disponível por 90 dias, com possibilidade de prorrogação. Mais 30 dias devem ser somados ao tempo para que o MEC (Ministério da Educação) elabore um relatório.

Camilo Santana, ministro da Educação, tem se manifestado de maneira contrária à revogação da reforma. Ele defende que o modelo seja ajustado e considera que a revogação completa seria um retrocesso. A portaria para suspender o projeto tem apoio da equipe próxima ao presidente Lula, mas depende do Congresso Nacional, já que ocorreu por lei. O novo ensino médio foi aprovado em 2017, durante o governo de Michel Temer, a partir de medida provisória.


A implementação da reforma se tornou obrigatória em 2022 e tem apresentado uma série de problemas, como a diminuição de tempo de aula para disciplinas tradicionais e matérias desconectadas do currículo escolar.


Professores e trabalhadores da rede pública de ensino protestam pela revogação do Novo Ensino Médio, com apoio de estudantes, na Avenida Paulista. Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil
Professores e trabalhadores da rede pública de ensino protestam pela revogação do Novo Ensino Médio, com apoio de estudantes, na Avenida Paulista. Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

Um grupo de trabalho se reúne nesta segunda (3) para discutir sobre a portaria que será publicada nos próximos dias. Estudantes, professores, entidades estudantis e especialistas têm cobrado a revogação da reforma desde o início do ano. Os itinerários do novo ensino médio, que permitem que alguns estudantes escolham disciplinas optativas, têm sido impostos e até sorteados entre os alunos em escolas estaduais. A falta de professores e espaços apropriados fazem com que nem todos sejam atendidos e tenham que ser colocados onde há vagas disponíveis.

A consulta pública iniciada pelo MEC prevê audiências públicas, oficinas de trabalho, seminários e pesquisas nacionais para tratar do tema. No mês passado, Lula afirmou que conversou com o ministro para que uma “nova proposta” seja criada. “Conversei com o ministro Camilo Santana sobre o novo ensino médio. O ministro da Educação vai fazer um debate com alunos e professores, para fazer uma nova proposta. Vamos fazer o que for melhor para os estudantes”, afirmou o presidente na ocasião.


Entre no nosso grupo de WhatsApp AQUI.

Entre no nosso Canal do Telegram AQUI.

 

Ajude a fortalecer nosso jornalismo independente contribuindo com a campanha 'Sou Daki e Apoio' de financiamento coletivo do Jornal Daki. Clique AQUI e contribua.


POLÍTICA