top of page

Homem dispara contra pessoas na vitória de Lula e mata jovem de 28 anos

Eleitor de Lula foi assassinado na garagem de sua casa em BH


Pedro Henrique Dias Soares/Divulgação internet
Pedro Henrique Dias Soares/Divulgação internet

Pragmatismo Político - Horas após o fim das eleições presidenciais e a confirmação do resultado definitivo, na noite deste domingo (30), um homem armado dispara vários tiros contra pessoas que estavam numa garagem comemorado o resultado, no bairro Nova Cintra, na Região Oeste de Belo Horizonte, em Minas Gerais.


Mais um bolsonarista mata um petista em meio à violência política. Desta vez, o jovem Pedro Henrique Dias Soares, 28 anos, eleitor do presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT), foi assassinado por um apoiador de Jair Bolsonaro (PL). Ele estava na garagem de sua casa com familiares e amigos, comemorando a vitória do candidato da Coligação Brasil da Esperança.


Ruan Nilton da Luz, de 36 anos, também atirou em outras quatro pessoas, que comemoravam a eleição de Lula à Presidência da República: três mulheres e uma criança de 12 anos. A defesa do assassino alegou surto psicótico.


O autor dos disparos tinha registro das armas e certificado de Colecionador, Atirador Desportivo e Caçador (CAC) e foi preso em flagrante pelos crimes de homicídio e tentativa de homicídio. Conforme a Polícia Civil, que investiga a motivação política, o atirador estava sob efeito de álcool quando decidiu sair em “busca de traficantes”. Em depoimento aos agentes, disse que “atirou aleatoriamente” ao sair de casa. As primeiras vítimas foram duas mulheres, uma mulher de 47 anos e outra de 40 anos. Ambas foram atingidas de raspão, que foram encaminhadas para a UPA Oeste.



Na sequência, o assassino viu a garagem em que Pedro e familiares comemoravam a vitória de Lula no segundo turno sobre Jair Bolsonaro. A mãe dele e uma prima abriram o portão para sair para a rua. Nesse momento foram feitos os disparos. Os tiros atingiram Pedro, uma mulher de 47 anos e uma criança de 12. Todos foram encaminhados para o Hospital de Pronto-Socorro João XXIII. Pedro Henrique não resistiu aos ferimentos no abdômen e no ombro e morreu no hospital.


Uma tia do jovem assassinado disse à TV Record que 10 pessoas estavam no local, acompanhando a apuração dos votos. Entre elas, havia também apoiadores de Bolsonaro.


“A gente estava em uma comemoração entre família. Meu sobrinho estava cantando ‘é Lula, é Lula’, porque ganhou. [O suspeito] simplesmente saiu atirando porque o Lula ganhou. O cara já chegou atirando”, disse a dona de casa Amanda Dias de Paula, que tinha deixado o local poucos minutos antes da chegada do atirador.


Com o autor dos disparos, a Polícia Militar apreendeu uma pistola calibre 9 milímetros e uma 380, além de cartuchos de munição e uma faca. Na sua residência havia ainda outra arma de fogo, rifle calibre 22 e mais 500 munições.

 

Ajude a fortalecer nosso jornalismo independente contribuindo com a campanha 'Sou Daki e Apoio' de financiamento coletivo do Jornal Daki. Clique AQUI e contribua.



POLÍTICA