top of page

Hortaliças lideram quedas de preço na Ceasa-RJ em agosto

Alface, batata, cebola e cenoura tiveram variação negativa, segundo pesquisa realizada pela Conab em 11 capitais brasileiras


Foto: Tania Rêgo/Agência Brasil
Foto: Tania Rêgo/Agência Brasil

As hortaliças tiveram expressiva queda de preços na Central de Abastecimento (Ceasa) do Rio de Janeiro no período de julho para agosto. A batata (-19,11%) e a cenoura (-18,71%) tiveram variação negativa de quase 20% no período. Houve queda também nos preços da cebola (-4,06%) e do alface (-2,16%).

Das cinco hortaliças pesquisadas pelo Boletim do Programa de Modernização do Mercado Hortigranjeiro publicado nesta semana pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), apenas o tomate mostrou variação positiva no Rio de Janeiro, de 2,74%.

Entre as frutas pesquisadas, apenas a melancia (-6,22%) teve variação negativa no estado de julho para agosto. Mamão (34,7%), laranja (11,64%), banana (4,83) e maçã (0,67%) tiveram variação positiva no período analisado.



Queda Nacional - Na média ponderada levando em conta 11 centrais de abastecimento nas cinco regiões do país, alface, batata, cebola, cenoura e tomate registraram movimento de redução nos valores de julho para agosto. A batata foi a que mais barateou no período, com queda de preços unânime em todas as Ceasas. A média ponderada decresceu 25,35% em relação a julho. O motivo seria a intensificação da safra de inverno, que manteve a oferta em patamares elevados. Pela quarta vez no ano, a quantidade comercializada nas 11 centrais consideradas ultrapassou a marca de 100 mil toneladas, 1,2% acima do total de julho.

A alface também seguiu a lista dos mais acessíveis, apresentando pelo terceiro mês consecutivo a tendência declinante. Em agosto, a média ponderada caiu 19,61% em relação a julho. Já a comercialização subiu 9% no mesmo período. Ressalte-se que em junho e julho a oferta do produto nos mercados atacadistas analisados foi a menor do ano e a recuperação de agosto está ligada às temperaturas mais elevadas em quase todo o país.



A cenoura, cebola e tomate, embora com menores índices, também decresceram na média ponderada em -7,97%, -6,56% e -2,56%, respectivamente. No caso da cenoura, um fator preponderante para a queda unânime de preços foi a boa performance de todas as áreas produtoras, não pressionando a oferta mineira, principal abastecedora das Ceasas.

A cebola também apresentou grande oferta nas Ceasas, o que justificou as cotações menores. Já o tomate, embora também tenha tido declínio, não foi uniforme, em função da variação de oferta local, proporcionando dentro do mês movimento decrescente na primeira quinzena e altista na segunda. As variações de temperatura, atrasando ou acelerando a maturação, explicam os preços oscilantes.

Os dados estatísticos do Boletim Prohort da Conab são levantados nas Centrais de Abastecimento em São Paulo (SP), Belo Horizonte (MG), Rio de Janeiro (RJ), Vitória (ES), Curitiba (PR), São José (SC), Goiânia (GO), Recife (PE), Fortaleza (CE), Rio Branco (AC) e Brasília (DF).


Entre no nosso grupo de WhatsApp AQUI

Entre no nosso canal do Telegram AQUI

 

Ajude a fortalecer nosso jornalismo independente contribuindo com a campanha 'Sou Daki e Apoio' de financiamento coletivo do Jornal Daki. Clique AQUI e contribua.




POLÍTICA