top of page

irmãos Brazão e Rivaldo seguem presos, decide Moraes

Moraes também indeferiu o pedido de Domingos Brazão para transferência para uma prisão especial ou sala de Estado-Maior

Caso Marielle Franco - Domingos Brazão, seu irmão Chiquinho Brazão e Rivaldo Barbosa. Os três foram presos por forte envolvimento com o assassinato de Marielle Franco Foto: Alerj, ABr e Câmara Deputados
Caso Marielle Franco - Domingos Brazão, seu irmão Chiquinho Brazão e Rivaldo Barbosa. Os três foram presos por forte envolvimento com o assassinato de Marielle Franco Foto: Alerj, ABr e Câmara Deputados


O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), negou os pedidos de liberdade e manteve as prisões preventivas do deputado federal Chiquinho Brazão (sem partido-RJ), seu irmão, o conselheiro do Tribunal de Contas do Estado (TCE) Domingos Brazão, e do ex-chefe da Polícia Civil do Rio de Janeiro Rivaldo Barbosa. Todos são acusados de envolvimento no assassinato da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes, em 2018.


Além de manter as prisões, Moraes também indeferiu o pedido de Domingos Brazão para transferência para uma prisão especial ou sala de Estado-Maior. A decisão foi emitida nesta quarta-feira (3) e fundamentada nos artigos 312 e 316 do Código de Processo Penal.


“(…) Com base nos elementos apresentados e na manifestação da Procuradoria-Geral da República, MANTENHO A PRISÃO PREVENTIVA dos réus DOMINGOS INÁCIO BRAZÃO, JOÃO FRANCISCO INÁCIO BRAZÃO e RIVALDO BARBOSA DE ARAÚJO JÚNIOR”, afirmou Moraes em despacho.



Apesar de manter a prisão, Moraes concedeu acesso completo ao material de um processo relacionado à federalização do caso Marielle, atendendo a uma solicitação da defesa de Rivaldo Barbosa.


A decisão do ministro do STF segue a aceitação, há duas semanas, da denúncia pela Primeira Turma do STF, que tornou réus os irmãos Brazão e Rivaldo. Todos os acusados negam qualquer envolvimento nos crimes.


De Agenda do Poder.


Nos siga no BlueSky AQUI.

Entre no nosso grupo de WhatsApp AQUI.

Entre no nosso grupo do Telegram AQUI.

 

Ajude a fortalecer nosso jornalismo independente contribuindo com a campanha 'Sou Daki e Apoio' de financiamento coletivo do Jornal Daki. Clique AQUI e contribua.

POLÍTICA