top of page

João Donato morre aos 88 anos no Rio

Músico morreu em decorrência de uma série de problemas de saúde. Recentemente ele foi internado com infecção no pulmão


Foto: Reprodução vídeo
Foto: Reprodução vídeo

O músico João Donato, de 88 anos, morreu na madrugada desta segunda (17), no Rio. A informação foi confirmada pela família do artista. Pianista, acordeonista, arranjador, cantor e compositor, o veterano morreu em decorrência de uma série de problemas de saúde. Recentemente, ele teve uma infecção nos pulmões.


João Donato nasceu em Rio Branco, no Acre, em 1934. Em 1945, o artista se mudou com a família para o Rio de Janeiro. Ele começou a tocas nas festas do colégio e, em uma dessas ocasiões, conheceu o grupo Namorados da Lua. Foi então que ele fez amizade com Lúcio Alves, Nanai e Chicão.


A carreira profissional começou em 1949, com o grupo Altamiro Carrilho e Seu Regional, com o qual gravou, no mesmo ano, as canções “Brejeiro” (Ernesto Nazareth) e “Feliz aniversário” (Altamiro Carrilho e Ari Duarte). Depois disso, ele substituiu Chiquinho do Acordeon no conjunto de Fafá Lemos durante uma apresentação na boate Monte Carlo, no Rio de Janeiro. A partir daí, ele atuou em casas noturnas como Plaza, Drink, Sachas e Au Bom Gourmet.



Em 1951, João Donato participou do programa de músicas nordestinas “Manhãs da roça”, que era comandado por Zé do Norte, na Rádio Guanabara. Ele também começou a estudar piano nesta época. Em 1953, ele lançou o grupo "Donato e Seu Conjunto", com o qual gravou dois discos em 78 RPM neste mesmo ano: "Tenderly” (J. Lawrence e W..Gross)/”Invitation” (Bronislau Kaper) e “Já chegou a hora (Rubens Campos e Henricão)/”You Belong to Me” (Pee Wee King, Stewart e Price).


Ele também fez parte do grupo "Os Namorados", com o qual gravou três discos em 78 RPM: "Eu quero um samba” (Haroldo Barbosa e Janet de Almeida)/”Três Ave-Marias” (Hanibal Cruz), em 1953; “Palpite infeliz” (Noel Rosa)/”Pagode em Xerém (Sebastião Gomes e Alcebádes Barcelos), em 1953; e “Você sorriu” (Valdemar Gomes e José Rosa)/”Não sou bobo” (Nanai, Ari Monteiro e L. Machado), em 1954.


Formou, em 1954, o Trio Donato, com o qual lançou um 78 RPM com as músicas “Se acaso você chegasse (Lupicínio Rodrigues e Felisberto Martins) e “Há muito tempo atrás (J. Kern e I. Gershwin). O artista se mudou para São Paulo em 1956 e atuou como pianista do conjunto Os Copacabanas e também na Orquestra de Luís Cesar.



Em 1956, Joã Donato gravou seu primeiro LP, “Chá dançante”, com canções como anções “Comigo é assim” (Luiz Bittencourt e Zé Menezes), “No Rancho Fundo” (Ary Barroso e Lamartine Babo), “Se acaso você chegasse” (Lupicínio Rodrigues e Felisberto Martins), “Carinhoso” (Pixinguinha e João de Barro), “Baião” (Luiz Gonzaga e Humberto Teixeira), “Peguei um Ita no Norte” (Dorival Caymmi), “Farinhada” (Zé Dantas) e “Baião da Garoa” (Luiz Gonzaga e Hervé Cordovil).


Ele voltou ao Rio de Janeiro em 1958 e dedicou-se ao piano. Neste ano, gravou gravou duas faixas no LP “Dance conosco”: “Minha saudade”, seu primeiro sucesso, e “Mambinho”, ambas em parceria com João Gilberto. Em 1959, viajou para o México e depois morou por três anos nos Estados Unidos. Ele também fez turnê com João Gilberto pela Europa.


O músico voltou ao Brasil em 1962, casado com a atriz norte-americana Patricia del Sasser. Em 1963, gravou o LP “Muito à vontade” e, em seguida, voltou aos Estados Unidos, onde viveu por mais 10 anos. Em 1999 se casou com Ivone Belém, a quem chamava de "Dona Castorina".


Em sua carreira, João Donato fez parcerias com nomes como Astrud Gilberto, Dorival Caymmi, Tom Jobim, Eumir Deodato, Stan Kenton, Nelson Riddle, Herbie Mann e Wes Montgomery, entre outros. Nos anos 2000 ganhou o Prêmio Shell de Música pelo conjunto da obra. Em 2003, ganhou o Prêmio APCA (Associação Paulista dos Críticos de Arte). Em 2004, recebeu o Prêmio Tim pelo disco “Emílio Santiago encontra João Donato”.


*Informações O Dia


Entre no nosso grupo de WhatsApp AQUI.

Entre no nosso canal do Telegram AQUI.

 

Ajude a fortalecer nosso jornalismo independente contribuindo com a campanha 'Sou Daki e Apoio' de financiamento coletivo do Jornal Daki. Clique AQUI e contribua.



POLÍTICA