top of page

Justiça condena Bolsonarista que associou vacina à homossexualidade

Youtuber teve seu canal com 170 mil inscritos banido pela plataforma


Por Cláudio Figueiras

Foto: Agência Brasil/EBC
Foto: Agência Brasil/EBC

A Justiça de São Paulo condenou o youtuber bolsonarista Marcelo Frazão, de 54 anos, por crime de homofobia. Frazão gravou um áudio em dezembro de 2020 afirmando que a vacina Coronavac “poderia alterar o código genético” e causar “síndromes graves” como “câncer” e “homossexualismo”. As informações são da Folha de S. Paulo.


O áudio gravado por Frazão, que disputou Prefeitura de São Simão, interior de São Paulo, pelo Patriotas, foi distribuído pelo WhatsApp e replicado no Facebook. O youtuber disse que a vacina é uma “pauta comunista que tem como objetivo reduzir a população mundial” e que “as pessoas que a tomarem vão passar a ter problemas gravíssimos de saúde”.


Quando seu filho for ter o filho dele, ele vai nascer com problema. O menino pode deixar de ser menino, vai virar menina. A menina deixa de ser menina e vira menino”, afirmou.



Durante interrogatório, Frazão afirmou ainda que não existe Covid-19 nem tampouco vacina para a doença, pois “ambos são assuntos políticos”. E a vacina, segundo declarou, é um crime contra a humanidade.


O Ministério Público denunciou Frazão à Justiça por preconceito e homofobia, que o condenou a dois anos e quatro meses de reclusão, em regime aberto. A pena, porém, foi substituída por prestação de serviços à comunidade.


Terá ainda de pagar uma indenização por dano moral coletivo de 50 salários mínimos (R$ 60,6 mil).



Frazão ainda pode recorrer da decisão.


Seu canal no Youtube, que tinha 170 mil inscritos, foi banido pela plataforma.

 

Ajude a fortalecer nosso jornalismo independente contribuindo com a campanha 'Sou Daki e Apoio' de financiamento coletivo do Jornal Daki. Clique AQUI e contribua.



POLÍTICA