top of page

Juventude do PT reclama de partido não promover transição geracional

O embate surge em meio a debates internos sobre a redução dos recursos para os grupos LGBTQIA+, sindicalistas e culturais

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Enquanto o governo intensifica esforços para melhorar a popularidade do presidente Luiz Inácio Lula da Silva entre os jovens, a Juventude do PT levanta críticas internas.


Um documento enviado à direção nacional do partido denuncia que a sigla está limitando o espaço no fundo eleitoral destinado a movimentos como juventude, LGBTQIA+, sindicalistas e culturais. Segundo a carta, a direção nacional estaria impedindo a transição geracional necessária dentro do partido.


O embate surge em meio a debates internos sobre a redução dos recursos para esses grupos, passando de 3% para 1%. A tesoureira do PT, Gleide Andrade, negou que haja uma proposta concreta em discussão, afirmando que o tema será abordado apenas no final de julho.


A secretária Nacional da Juventude do PT, Nádia Garcia, rebateu as acusações, classificando-as como tentativas vazias de criar divisões internas. Ela afirmou que não há definição deliberada sobre percentuais do fundo eleitoral.


Enquanto isso, o governo Lula planeja anunciar um pacote de iniciativas para os jovens, visando combater a insatisfação detectada por pesquisas internas. O programa Pé-de-Meia, que inclui um auxílio financeiro para estudantes do Ensino Médio, e a criação de cem novos institutos federais estão entre as propostas destacadas.


Pesquisas indicam que, apesar de uma maioria ter votado em Lula e rejeitar Jair Bolsonaro, os jovens avaliam o governo de forma regular e esperam mais iniciativas efetivas para sua faixa etária.


Entre no nosso grupo de WhatsApp AQUI.

Entre no nosso grupo do Telegram AQUI.


Ajude a fortalecer nosso jornalismo independente contribuindo com a campanha 'Sou Daki e Apoio' de financiamento coletivo do Jornal Daki. Clique AQUI e contribua.

POLÍTICA