top of page

Lecinho leva nova bomba da Justiça e continua cassado

Vereador, porém, não tem perda imediata do mandato. Decisão o tornou inelegível por 8 anos


Por Cláudio Figueiras

Reprodução TV Câmara
Reprodução TV Câmara

E o presidente da Câmara de Vereadores de São Gonçalo, Lecinho Breda (MDB), levou de novo bomba da Justiça.


O vereador recorreu da decisão do juízo da 135ª zona eleitoral que cassou o seu mandato, mas o seu pedido foi rejeitado pelo juiz Antonio Marreiros Neto. Tanto Lecinho e outros suplentes da chapa que disputou o pleito de 2020 seguem cassados e inelegíveis por oito anos subsequentes à última eleição.



O presidente da Câmara parece não estar abalado. Via assessoria da Câmara, o parlamentar disse que a Mesa Diretora não recebeu nenhuma ordem para seu afastamento das funções legislativas e que, segundo a legislação eleitoral, cabe outros recursos da decisão em "segunda, terceira e quarta instância".


Lecinho e toda chapa do MDB concorreram às eleições de modo fraudulento à lei de cotas candidaturas femininas, segundo representação do Ministério Público Eleitoral aceita pelo juízo de primeira instância, que cassou a titularidade e a suplências dos candidatos. Caso idêntico ocorreu com a chapa do PSC, que derrubou a eleição de outro vereador, Armando Marins.


Nos dois casos, cabem recursos. E a perda efetiva do mandato ocorre após manutenção da decisão em grau superior dos tribunais de piso.


Entre no nosso grupo de WhatsApp AQUI.

Entre no nosso canal do Telegram AQUI.

 

Ajude a fortalecer nosso jornalismo independente contribuindo com a campanha 'Sou Daki e Apoio' de financiamento coletivo do Jornal Daki. Clique AQUI e contribua.


POLÍTICA