top of page

Lula dá 'grito de independência' ao dólar em visita a China

Declaração ocorreu durante cerimônia de posse de Dilma Rousseff como presidente do Novo Banco de Desenvolvimento


Por Rodrigo Melo

Lula e Dilma em Xangai/Foto: Agência Brasil
Lula e Dilma em Xangai/Foto: Agência Brasil

Na China, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva não poupou críticas ao modelo tradicional de financiamento de instituições financeiras internacionais e defendeu o transacionamento financeiro entre os países com moedas locais além do dólar.


A afirmação de Lula se deu durante a posse de Dilma Rousseff como presidente do Novo Banco de Desenvolvimento (NDB na sigla em inglês), em Xangai, nesta quinta (13.abr.23).


Pela primeira vez, um banco de desenvolvimento de alcance global é estabelecido sem a participação de países desenvolvidos em sua fase inicial. Livre, portanto, das amarras e condicionalidades impostas pelas instituições tradicionais às economias emergentes. E mais, com a possibilidade de financiamento de projetos em moeda local”, disse Lula.



O NDB, também conhecido como Banco do Brics (bloco econômico composto por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul), não tem a participação do Fundo Monetário Internacional (FMI) ou instituições financeiras de países de fora do grupo.


O presidente questionou no mesmo discurso a predominância do dólar nas transações comerciais:


Todas as noites eu me pergunto por que todos os países têm que basear seu comércio no dólar. Por que não podemos negociar com base em nossas próprias moedas? Quem foi que decidiu que o dólar era a moeda após o desaparecimento do padrão-ouro?”.


Os dois países fecharam um acordo para que bancos no Brasil possam usar o sistema financeiro de pagamentos criado pela China em alternativa ao swift, usado no Ocidente e operado exclusivamente em dólar.


Com informações de Agência Brasil.


Entre no nosso grupo de WhatsApp AQUI.

Entre no nosso Canal do Telegram AQUI.

 

Ajude a fortalecer nosso jornalismo independente contribuindo com a campanha 'Sou Daki e Apoio' de financiamento coletivo do Jornal Daki. Clique AQUI e contribua.


POLÍTICA