top of page

Mãe que enviava a pastor vídeo de filho em ato sexual para quitar dívida com agiota é presa

A mulher pensava que as imagens eram enviadas para a sua namorada virtual que na verdade era um homem

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução


Policiais civis da Delegacia de Atendimento à Mulher (Deam) de Nova Iguaçu prenderam uma mulher e um homem pelos crimes de estupro de vulnerável e armazenamento de imagem em dispositivo eletrônico.


A mulher violentava o próprio filho de 4 anos e enviava as imagens para uma pessoa que imaginava ser uma mulher, com a qual se relacionava virtualmente. A irmã da criminosa presenciou um dos atos e avisou à avó do menino, que denunciou o caso à polícia.


Segundo as investigações, a mulher alegou enviar as imagens para a namorada dela e para um homem que a ameaçava. Diferentemente do alegado, a investigação demonstrou uma relação de cumplicidade e romance entre a acusada e a suposta namorada.


Segundo os agentes, essa namorada, na verdade, seria um homem, presbítero de uma igreja evangélica. Ele foi identificado e preso no mesmo município.


O homem se passava por uma mulher e pedia que ela filmasse e compartilhasse cenas de atos sexuais para que uma dívida com um agiota fosse abatida ou cancelada.


De OSG.


Entre no nosso grupo de WhatsApp AQUI.

Entre no nosso grupo do Telegram AQUI.

 

Ajude a fortalecer nosso jornalismo independente contribuindo com a campanha 'Sou Daki e Apoio' de financiamento coletivo do Jornal Daki. Clique AQUI.

POLÍTICA