top of page

Maricá inicia projeto Mumbuca Futuro em duas escolas do município

Estudantes terão aulas extras com matérias que integram o programa e receberão 50 mumbucas para compra de material didático


Foto: Evelen Gouvêa/Divulgação
Foto: Evelen Gouvêa/Divulgação

Com o início do ano letivo, a Prefeitura de Maricá selecionou duas escolas para colocar em prática as ações do projeto Mumbuca Futuro, sendo uma municipal (Centro de Educação Pública Transformadora Zilca Lopes da Fontoura, no Centro) e outra estadual (Escola Estadual Professor Darcy Ribeiro, em Itaipuaçu).

Na Incubadora de Inovação Social Mumbuca Futuro, os alunos matriculados no 6º ano do Ensino Fundamental e no 1º ano do Ensino Médio contarão com aulas extras, que serão adequadas à grade da escola participante com matérias que integram o programa: educação popular, organização popular, economia solidária, consumo consciente, comércio justo, agroecologia e soberania alimentar.

Os estudantes receberão uma ajuda de 50 mumbucas para a compra de livros e demais materiais de apoio, além de um valor anual de 1.200 mumbucas, que será retirado somente após a conclusão do segmento cursado (Ensino Médio ou Ensino Fundamental II). O programa é uma parceria do Instituto de Ciência, Tecnologia e Inovação de Maricá (ICTIM) com as secretarias de Economia Solidária e de Educação.



Para que o programa siga um percurso didático e mantenha o interesse do estudante, as disciplinas serão selecionadas de acordo com o ano cursado e dentro da perspectiva do empreendedorismo solidário. Os alunos serão acompanhados durante toda a jornada de conhecimento e, ao final do período, deverão apresentar um projeto na área de Economia Solidária. Após a finalização das aulas extras, poderão receber o valor total acumulado nos anos letivos em mumbucas.

Posteriormente, esse mesmo projeto pode ser utilizado como um plano de estudos para a entrada em universidades. Segundo o presidente do ICTIM, Celso Pansera, a seleção ocorreu a partir do desempenho no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb). “Foram escolhidas as escolas com nota mais baixa, de forma que o projeto possa trazer benefícios não só para os estudantes, mas para a escola como um todo”, explica Pansera.



O secretário de Economia Solidária, Adalton Mendonça, disse que o Mumbuca Futuro inova ao oferecer o conhecimento vivo e prático para pessoas que atuam na educação. “A ideia é que esses jovens e adultos fomentem redes de formação continuada e de defesa do modelo revolucionário de Maricá. Esperamos que seja uma referência positiva para o Estado e para o país”, destaca Adalton.

 

Ajude a fortalecer nosso jornalismo independente contribuindo com a campanha 'Sou Daki e Apoio' de financiamento coletivo do Jornal Daki. Clique AQUI e contribua.





POLÍTICA