top of page

Maricá realiza atividades de conscientização sobre as hepatites virais

Julho Amarelo: Ações acontecem durante o mês nas Unidades de Saúde da Família e no Serviço de Atendimento Especializado


Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

A Prefeitura de Maricá informou por meio da Secretaria de Saúde, que preparou uma série de atividades para marcar o Julho Amarelo, mês de luta contra as hepatites virais. As dinâmicas ocorrem durante todo o período de mobilização nas Unidades de Saúde da Família (USF) da cidade e no Serviço de Atendimento Especializado (SAE), que fica na Rua 93, lote 03, quadra 160, em Araçatiba (próximo ao Fórum). O objetivo é alertar sobre a importância da prevenção, do diagnóstico precoce e do tratamento adequado das infecções, que causam inflamações no fígado de grau leve a grave.


Na segunda (17), às 9h, a USF Carlos Marighella sedia uma ação de conscientização direcionada aos cadastrados. As atividades continuam no dia 18/07, às 9h, na USF Santa Rita, e na USF Ponta Negra às 14h. No dia 19/07, a mobilização contra as hepatites virais será na USF Barroco a partir das 9h; no dia 26/07, a USF Inoã 1 simboliza a campanha no mesmo horário e, em 27/07, a USF Chácara de Inoã promove uma dinâmica de prevenção também às 9h. Ações descentralizadas também serão realizadas progressivamente em outras USF.


Entre os dias 24 e 28/07, o SAE realizará campanhas de conscientização e incentivo à testagem, distribuindo também materiais educativos e preservativos. Em 26/07, a hepatologista (médica especialista no fígado e estruturas correlatas) e outros profissionais do SAE conduzirão uma roda de conversa no local, compartilhando orientações e esclarecendo dúvidas dos usuários do serviço em relação às hepatites virais. No Dia Mundial de Luta contra as Hepatites Virais (28/07), haverá um café da manhã coletivo de conscientização no espaço.



A secretária de Saúde de Maricá, Solange Oliveira, ressaltou a importância das iniciativas voltadas ao Julho Amarelo, mobilizando os moradores e ampliando o acesso à informação.


“Estamos empenhados no enfrentamento às hepatites virais, unindo prevenção, tratamento e cura. Vamos realizar ações de conscientização nos quatro distritos, compartilhando informações essenciais e afastando estigmas. Disponibilizamos testes rápidos nas USF e no SAE, além da população contar com todo o cuidado de especialistas na área, o que completa um ciclo de cuidados”, destacou.


Atendimento qualificado no SAE


O Serviço de Atendimento Especializado (SAE) é o espaço onde são tratadas as pessoas diagnosticadas com hepatites virais. No local, há atendimento com hepatologista, principal responsável pelo tratamento adequado nessa área. Lembrando que as consultas são agendadas através da Central de Regulação do município, após encaminhamento para a especialidade.


No SAE também são realizados testes rápidos para hepatites dos tipos B e C. A testagem acontece de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, por livre demanda (sem necessidade de agendamento), com a disponibilização do resultado em cerca de 15 minutos. O serviço também oferece testes rápidos para sífilis e HIV nos mesmos dias e horário.


É importante lembrar que o SAE disponibiliza acompanhamento especializado às pessoas que vivem com Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST), tuberculose e hanseníase.



Hepatites virais exigem cuidados específicos


As hepatites se manifestam por infecções no fígado que, muitas vezes, não apresentam sintomas iniciais. Com o avanço da doença, os infectados podem apresentar cansaço, febre, mal-estar, tontura, enjoo, vômitos, dor abdominal, pele e olhos amarelados, urina escura e fezes claras. No Brasil, as hepatites mais frequentes são as dos tipos A, B e C.


Uma das formas de prevenção mais eficazes à Hepatite B é a vacinação, que ocorre nas USF da cidade, disponível para a população em geral. Além disso, a imunização dos recém-nascidos contra a doença é obrigatória e acontece na maternidade do Hospital Conde Modesto Leal, no Centro. Além disso, a aplicação da dose também é feita nos polos de triagem neonatal, junto à vacina BCG, para as crianças que por algum motivo não foram vacinadas na maternidade.


Há outras formas de prevenção às hepatites virais, como lavar frequentemente as mãos e alimentos, utilizar preservativos durante as relações sexuais, além de não compartilhar objetos perfuro-cortantes ou de uso pessoal, como alicates, lâminas de barbear e agulhas. As hepatites têm cura com uso de medicamentos receitados, além de outros tratamentos.


Entre no nosso grupo de WhatsApp AQUI.

Entre no nosso canal do Telegram AQUI.

 

Ajude a fortalecer nosso jornalismo independente contribuindo com a campanha 'Sou Daki e Apoio' de financiamento coletivo do Jornal Daki. Clique AQUI e contribua.