top of page

'Mito, mito!': itens da cesta básica sobem até 103% em 1 ano

Tomate, carne e café explodiram os preços

Tudo conta desses aí/Foto: Poder 360
Tudo conta desses aí/Foto: Poder 360

O estrago feito pela turma do bozo, milicos e seu Guedes ao Brasil e aos brasileiros é grande. Exatamente 103% em aumento dos preços nos itens da cesta básica em apenas um ano. Um recorde! Só em abril, a inflação registrada foi de 1,06%, a maior para o mês desde 1996. As informações são do UOL.


Nos últimos 12 meses, o único item da cesta básica a registrar queda nos preços é o arroz, que acumula queda de 11,53% entre os meses de abril de 2021 e 2022. Para o restante, as altas variam de 8,06%, no caso das carnes, até 103,26% para o tomate.


O segundo produto que mais encareceu foi o café, que subiu mais de 67% no período.

Confira todas as porcentagens verificadas pelo IBGE no último ano. A raiva tá liberada:



Tomate: 103,26% - subgrupo "tubérculos, raízes e legumes": 69,90%

Café moído: 67,53% - subgrupo "bebidas e infusões": 20,23%

Batata-inglesa: 63,40% - subgrupo "tubérculos, raízes e legumes": 69,90%

Açúcar refinado: 36,99% - subgrupo "açúcares e derivados": 18,54%

Óleo de soja: 31,53% subgrupo "óleos e gorduras": 26,40%

Leite longa vida: 23,37% - subgrupo "leite e derivados": 18,07%

Farinha de trigo: 23,23% - subgrupo "farinha, féculas e massas": 16,28%

Banana: até 17,36% (banana-prata) - subgrupo "frutas": 17,49%

Pão francês: 13,09% - subgrupo "panificados": 13,83%

Manteiga: 10,05% - subgrupo "leite e derivados": 18,07%

Feijão carioca: 9,40% - subgrupo "cereais, leguminosas e oleaginosas": -7,19%

Carnes: 8,06% - destaque para fígado (19,35%), contrafilé (15,66%) e alcatra (13,17%)

Arroz: -11,53% - subgrupo "cereais, leguminosas e oleaginosas": -7,19%

Carnes: 8,06% - destaque para fígado (19,35%), contrafilé (15,66%) e alcatra (13,17%)

Arroz: -11,53% - subgrupo "cereais, leguminosas e oleaginosas": -7,19%

 

Ajude a fortalecer nosso jornalismo independente contribuindo com a campanha 'Sou Daki e Apoio' de financiamento coletivo do Jornal Daki. Clique AQUI e contribua.



POLÍTICA