top of page

Mulherada será maioria no governo chileno de Gabriel Boric

A nomeação mais simbólica feita pelo presidente é de Maya Fernandez Allende, neta de Salvador Allende, cujo governo foi derrubado por Pinochet


Por Cláudio Figueiras

Boric e o time que assume a partir de março/Foto: O Globo-AFP
Boric e o time que assume a partir de março/Foto: O Globo-AFP

O novo presidente do Chile, Gabriel Boric, 35 anos, anunciou os ministros que irão ocupar o gabinete de governo. Dos 24 cargos, 14 serão ocupados por mulheres. Pela primeira vez na história do país andino, as mulheres formarão ampla maioria no Palácio La Moneda. A posse está marcada para 11 de março.


A nomeação mais simbólica é de Maya Fernandez Allende, neta de Salvador Allende, cujo governo foi derrubado pelo golpe de Estado articulado pelo Exército chileno e colocou o ditador Augusto Pinochet no poder. Ela irá ocupar o cargo de ministra da Defesa e terá interlocução direta com os militares do seu país.



“Vamos fazer um governo cidadão, de portas abertas, sempre ao lado do povo”, disse Boric, enfatizando que seu ministério será composto por pessoas preparadas e comprometidas com a agenda de mudanças aprovadas nas urnas em dezembro do ano passado.


A média de idade do novo ministério, composto por independentes e membros dos partidos socialista, comunista e da Concertación, é de 49 anos, e terá como “mulher forte” do governo, a médica sanitarista Izkia Siches, que será a ministra do Interior. Esta é a primeira-vez que o ministério, um dos mais importantes do governo, será ocupado por uma mulher.

 

Ajude a fortalecer nosso jornalismo independente contribuindo com a campanha 'Sou Daki e Apoio' de financiamento coletivo do Jornal Daki. Clique AQUI e contribua.


POLÍTICA