top of page

Nelson deixa Avante e ingressa no PL de Altineu Côrtes

Por Rodrigo Melo

Nelson assina a ficha de seu terceiro partido/Foto: Divulgação
Nelson assina a ficha de seu terceiro partido/Foto: Divulgação

O prefeito de São Gonçalo, Nelson Ruas, deixou o Avante, sigla que fez parte desde 2016 quando ainda se chamava PTdoB, para ingressar no Partido Liberal (PL), comandado no estado do Rio de Janeiro pelo deputado federal Altineu Côrtes. É o terceiro partido que Nelson integra em sua carreira política. O primeiro foi o Partido Social Cristão (PSC), por onde se elegeu vereador em 2004.


Além do capitão reformado da PM, Altineu também levou para a legenda o prefeito de Paulo de Frontin, Maneko Artemenko, que deixou o ninho tucano do PSDB.


Maneko e o ex-capitão assinaram a ficha de filiação em evento realizado na tarde desta sexta-feira (5) no Auditório Josué de Castro, no Centro do Rio, sob os olhares jubilosos do deputado gonçalense, do vice prefeito do Rio e presidente municipal do PL, Nilton Caldeira, e do senador Carlos Portinho (PL), que assumiu o mandato em novembro de 2020 após a morte do titular Arolde de Oliveira (PSD), vítima de Covid-19.


Em pronunciamento, Nelson disse que saiu do Avante, mas o Avante não sai do governo:

- É com muita alegria que anuncio minha filiação ao PL, partido que apoiou e acreditou em minha candidatura a prefeito de São Gonçalo e que vem sendo importante alicerce em nossa gestão à frente da Prefeitura. Faço questão de citar o deputado federal Altineu Côrtes, incansável articulador de ações que possam se reverter em mais recursos para a execução de nossos projetos. Gostaria de agradecer ao Avante, é uma legenda partidária que merece todo o meu reconhecimento e que seguirá conosco no governo - afirmou Nelson em seu Facebook.


Altineu Côrtes, que já tem amplo espaço no governo Nelson Ruas, controlando diretamente pelo menos três secretarias (Governo, Saúde e Educação), tem sido figurinha fácil ao lado do alcaide desde as eleições do ano passado e recentemente em suas andanças por Brasília atrás de recursos para o município pobre do leste metropolitano.


Essas idas à Capital Federal podem ter um resultado concreto e explicar em parte a filiação do ex-capitão ao PL.


De olho na eleição de Arthur Lira (PP) para presidir a Câmara, o governo Bolsonaro abriu os combalidos cofres da União e garantiu R$ 3 bilhões ao festim dos parlamentares do 'Centrão'. Dessa inédita dinheirama ofertada aos insaciáveis deputados, R$ 65 milhões foram prometidos, ainda em 2021, ao parlamentar gonçalense, que almeja voos mais altos na política. O Senado, talvez?


Controlar o segundo maior colégio eleitoral é meio caminho andado. E já há quem diga que o ilustre Coutinho, da histórica Santa Edwiges, em Santa Isabel, agora é o prefeito de facto de São Gonçalo.


POLÍTICA