top of page

Neonazista executa cachorro, ameaça servidor da Anvisa e pede “Bolsonaro 2022”

Um documento obtido pela jornalista Natuza Nery, da GloboNews, revela uma série de ameaças aos diretores e técnicos da Anvisa


Anvisa – Foto: Reprodução
Anvisa – Foto: Reprodução

DCM - Um documento obtido pela jornalista Natuza Nery, da GloboNews, revela uma série de ameaças aos diretores e técnicos da Anvisa.


No e-mail, um homem usa de ações neonazistas para intimidar os profissionais. Em vídeo anexado, ele aparece executando um cachorro por enforcamento e diz: “olha o que vai acontecer com vocês”.


Durante transmissão ao vivo da emissora, a jornalista lê o documento: “Os senhores vão pagar caro. Irei me deslocar da minha casa no Rio Grande do Sul até Brasília e irei purificar a terra onde a Anvisa está instalada, usando combustível abençoado. O Apocalipse se aproxima”.




Logo depois, o autor das mensagens informa seu CPF e sua localização. Ele prossegue: “Mas estarei bem longe quando o Xandão (apelido dado por Bolsonaristas ao ministro Alexandre de Moraes) mandar os parasitas da PF aqui para casa”. Segundo a jornalista, o homem termina com uma saudação nazista e um “Bolsonaro 2022”


As ameaças acontecem dias depois de o presidente Jair Bolsonaro (PL) intimidar e pedir que fossem divulgados os nomes dos servidores da Anvisa que autorizaram a aplicação da vacina contra a Covid-19 em crianças de 5 a 11 anos.




Em resposta à declaração do presidente de que divulgaria o nome de seus servidores, a Anvisa publicou, em 17 de dezembro, uma nota em que diz estar “isenta de pressões internas e avesso a pressões externas”.



POLÍTICA

KOTIDIANO