top of page

'O melhor remédio para preço alto é preço alto', diz membro do governo Bolsonaro

Declaração inacreditável se dá em meio ao desespero das famílias com a inflação dos alimentos

Sílvio Farnese/Foto: Reprodução Internet
Sílvio Farnese/Foto: Reprodução Internet

O Ministério da Agricultura “lavou as mãos” e disse que nada pode fazer para conter a escalada de preços dos alimentos no Brasil. Até mesmo diminuir as exportações de proteínas e grãos em meio à guerra entre Rússia e Ucrânia para manter os preços estáveis no país foi descartada pela Pasta. As informações são da Folha de S. Paulo.


A péssima notícia para os brasileiros foi dada pelo diretor de Comercialização e Abastecimento do ministério, sr. Sílvio Farnese, que afirmou que o governo não tem como adotar medidas para conter a disparada dos preços. Nem como agir para elevar estoques, equivalentes entre um e dois meses de consumo, todos concentrados no setor privado.


Temos como baixar os preços dos alimentos? Não. Aumentar os estoques nesse momento também só traria mais pressão de alta. Os preços estão elevados e a tendência é de alta. Mas o melhor remédio para preço alto é preço alto. É isso que incentiva a produção”, disse Farnese.


Antes da nova disparada de preços ao longo de 2021 e neste ano, quase 20 milhões de brasileiros declaravam passar 24 horas ou mais sem ter o que comer em alguns dias da semana.


No total, mais da metade (55%) dos brasileiros sofriam de algum tipo de insegurança alimentar (grave, moderada ou leve), segundo inquérito da Rede Penssan.

 

Ajude a fortalecer nosso jornalismo independente contribuindo com a campanha 'Sou Daki e Apoio' de financiamento coletivo do Jornal Daki. Clique AQUI e contribua.




POLÍTICA