top of page

PF desbarata quadrilha de contrabando de cigarros; filho de Sergio Cabral é um dos alvos

Ex-governador, que está preso, passou mal quando soube da operação

Cigarro apreendido/Foto: Divulgação
Cigarro apreendido/Foto: Divulgação

Foi realizada, na manhã de hoje (23), a operação “Smoke Free” contra organização criminosa armada e transnacional especializada em comércio ilegal de cigarros. Agentes da Polícia Federal atuaram em conjunto com o Ministério Público Federal, com apoio da U. S. Homeland Security Investigations (HSI), no Rio de Janeiro.


Ao todo, 300 policias federais foram às ruas para cumprir 27 mandados de prisão preventiva e 50 de busca e apreensão, expedidos pela 3ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro. Além dos mandados, ordens de bloqueio, sequestro e apreensão de bens, avaliados em cerca de R$ 300 milhões, foram emitidas. Dentre os bens, estão imóveis, veículos de luxo, criptomoedas, dinheiro em espécie, valores depositados em contas bancárias, entre outros.



Entre os alvos da operação está o filho do ex-governador Sergio Cabral, José Eduardo Neves Cabral, que até a última atualização desta matéria ainda não havia sido encontrado pela Polícia.


José Eduardo Neves/Foto: Divulgação
José Eduardo Neves/Foto: Divulgação

O ex-governador passou mal no Batalhão Especial Prisional, onde está preso, após saber que o filho é um dos alvos da operação deflagrada pelo PF. A informação foi confirmada pela PM e pelo seu outro filho, Marco Antonio Cabral. Sergio Cabral foi levado à enfermaria e medicado, e se encontra estável.


De acordo com a investigação, iniciada em 2020, o grupo criminoso, com falsificação ou não emissão de notas fiscais, depositava, transportava e comercializava cigarros obtidos de crime em territórios dominados por outras organizações criminosas, através de acerto entre elas e o grupo. Os crimes teriam ocorrido entre 2019 e 2022. Em seguida, era feita a lavagem dos recursos com o envio de altas quantias ao exterior.

 

Ajude a fortalecer nosso jornalismo independente contribuindo com a campanha 'Sou Daki e Apoio' de financiamento coletivo do Jornal Daki. Clique AQUI e contribua.


POLÍTICA