top of page

PF descobre nova joia nos EUA em investigação contra Bolsonaro

Um depoente ligado a uma joalheria que foi interrogado pelos policiais federais afirmou que o objeto é valioso e suas pedras podem ser extraídas e comercializadas. Ele relatou, no entanto, que o negócio acabou não sendo concluído

Bolsonaro e seu ex-ajudante de ordens, o tenente-coronel Mauro Cid. Foto: Reprodução
Bolsonaro e seu ex-ajudante de ordens, o tenente-coronel Mauro Cid. Foto: Reprodução

A Polícia Federal descobriu uma nova joia cravejada de pedras preciosas que pode ter sido negociada por aliados do ex-presidente Jair Bolsonaro nos Estados Unidos. A peça foi encontrada há poucas semanas, durante uma viagem de investigadores para diligências no país. A informação é da CNN Brasil. 


Um depoente ligado a uma joalheria que foi interrogado pelos policiais federais afirmou que o objeto é valioso e suas pedras podem ser extraídas e comercializadas. Ele relatou, no entanto, que o negócio acabou não sendo concluído.


A suspeita é que a joia também faça parte dos presentes recebidos pelo ex-presidente de um país do Oriente Médio. O objetivo dos investigadores agora é descobrir o paradeiro do item e apurações preliminares apontam que a joia está no mesmo estojo da escultura de palmeira entregue para Bolsonaro durante um encontro entre empresários brasileiros e árabes no Bahrein.


Por não ter comprovações da existência das joias por parte do depoente, a PF deve voltar a ouvir o tenente-coronel Mauro Cid, ex-ajudante de ordens de Bolsonaro que fechou delação com a corporação.

Investigadores apuraram que a nova peça não foi alvo da “operação resgate” feita por aliados do ex-presidente para recomprar joias vendidas no exterior após determinação do Tribunal de Contas da União (TCU) para devolver os itens.


Além do inquérito da joias, Bolsonaro ainda é investigado no esquema de fraude em cartões de vacinação e no planejamento de golpe de Estado para mantê-lo no poder. A PF se aproxima da conclusão das apurações e a Procuradoria-Geral da República (PGR) planeja apresentar denúncias contra ele até agosto, antes do início da campanha eleitoral.


Nos siga no BlueSky AQUI.

Entre no nosso grupo de WhatsApp AQUI.

Entre no nosso grupo do Telegram AQUI.


Ajude a fortalecer nosso jornalismo independente contribuindo com a campanha 'Sou Daki e Apoio' de financiamento coletivo do Jornal Daki. Clique AQUI e contribua.

POLÍTICA