Buscar

13 de maio: há o que se comemorar? Por Oswaldo Mendes


Cento e trinta e dois anos se passaram da dita Abolição da Escravatura e os afrodescendentes são maioria aonde? Aonde se fazem representados?


Não foi bondade de ninguém. Foram os Ingleses que necessitavam de mais pessoas para comprar, haja vista a Revolução Industrial. Toda Quebra de Paradigma leva a alterações, seja de Tecnologias, Mercados e Insumos. Escravos não se enquadravam no melhor negócio, mas miseráveis teriam que comprar obrigatoriamente.


Mentiram descaradamente numa estória de uma Princesa boazinha que não gostava do que acontecia. Estória para boi dormir, ainda com essa dita Abolição da Escravatura paralisando a Reforma Agrária a qual os Negros seriam contemplados.


É bom esclarecer que os Europeus vieram para o Brasil, à convite, e ganharam terras, mas os filhos de Escravos, muitos gerados através de estupro, que já estavam aqui, ganharam promessas e daí nasceu a Providência – a primeira Favela.


Os nossos Heróis da Pátria são forjados em cima do sangue do Negro: que me desmintam a história dos “Lanceros Negros” e seu final em função da não aceitação da Sociedade.


Até mesmo na Cultura há separação quando as expressões populares só são enquadradas como as MPB’s após a uma verdadeira devassa ou aceitação de algum não ente Afro-brasileiro. Alguém já viu algum samba ser tocado no horário das ditas MPB’s em seu formato original? Em horário de MPB toca samba canção, mas não Serginho Meriti, Nego e outros.


O nordestino Bezerra era cantor dos bandidos até que um roqueiro gravou e cantou suas músicas. Aí mudou. Virou MPB.


A porta para o Poder que deixaram para o Negro e o pobre se resume a Cultura, Política ou Esportes.


Daí vem a importância da escola na formação de Cidadãos Críticos nesta Sociedade onde a Lei de Gerson impera e o racismo muito mais.


Acrescente a esse país a corrupção generalizada, analfabetismo e como já vimos pobreza.


Pela Sociedade os Pobres, onde se incluem a sua quase maioria são Negros, não devem ser críticos, mas saber apenas ouvir, aceitar e assumir sua condição. Quem desgruda dessa sintonia será considerado abusado ou pelo sistema de Capitães do mato serão sumariamente mortos: Zumbi, Gangazumba, Marielle, Capitão Carlos Lamarca e outros.


O quadro piora muito se for Mulher Negra. Muito e vergonhosamente.


Claudino José da Silva, ex-deputado, desconhecido, morador de São Gonçalo na qual tinha na sua lista a luta contra o Racismo sempre afirmou sobre a estrutura montada para manter essa mentira da Libertação dos Escravos.


Busquemos nos rostos dos Vereadores da cidade quantos são Negros? Procuremos na história da idade uma Vereadora Negra. Busquemos quantos Prefeitos Negros que tivemos. Busquemos quantos Secretários ou até mesmo Subsecretários Negros temos atualmente? Se não achou, busquemos em Governos anteriores. Agora, faça o mesmo para as Mulheres Negras e se espantará(talvez).


Isso é institucionalizado em todos os Poderes. O Negro e a Negra não estão no Poder.


O Negro e Negra só é maioria para votar e não ser votado. Para ser dirigido e não dirigir. Só é maioria para encher cadeia e paginas policiais de jornais marrons. Procurem na “Fila da Vergonha” e notem o quantitativo que ali se encontra.


Há ainda os Negros que tem vergonha de se reconhecer como tal e essa é uma das piores coisas. Assim como há gonçalenses que falam que moram em Niterói, há também Negros e Negras que quando perguntados dizem que são mulatos, a cor da mula, como era dito pelos antepassados.


Grande Otelo declarou uma vez: Quando ganhei dinheiro deixei de ser preto. Porém muitas vezes além de deixar de ser Negro esquecem das suas raízes e começam a agir ou como Capitães do Mato ou integrante da Casa Grande, desmerecendo a quem ainda não teve a chance de sair da senzala.


Existe uma grande diferença entre ser rejeitado, tolerado e aceito. Poucos aceitam o Negro ou a Negra. A maioria os tolera. Administram-os a distância.


A meritocracia tão defendida por um monte de gente.


Notem quantos são contra as cotas no intuito claro e objetivo de favorecer a si ou a seus parentes.


A verdadeira abolição só virá através dos Bancos Escolares ou da Cultura, dos livros, dos poemas, nunca de uma de uma bola.


Não há nada para ser comemorado nesta data em relação a Libertação dos Escravos. Nada!

Oswaldo Mendes é engenheiro.


MV1.2.jpg
MALUGA_2.jpg

© 2020 POR APOLOGIA BRASIL

  • w-facebook
  • Instagram
  • White Twitter Icon