Buscar

SG: Uma nova geração de artistas com a benção dos profissionais da ribalta



A escadaria da Igreja Matriz de São Gonçalo do Amarante serviu de palco para o “Auto da Paixão”, no Domingo de Páscoa.

A tradicional encenação religiosa da cidade teve seu início às 20h, após missa campal com presença de Dom Alano. A forte chuva não desanimou os fieis, onde prosseguiram a liturgia no interior da Matriz.

“Se Deus é brasileiro São Pedro é gonçalense”. Prova disso foi o santo atender os pedidos feitos no camarim, para que fechasse a torneira do céu e os refletores na terra pudessem ser acesos.

A Orquestra Sinfônica Municipal abriu as portas do “Auto”. O bailarino Igor Silva, sapatilhas que vão longe, com solos de arrepiar. Os demais bailarinos assim também os atores, crianças e jovens e adolescentes, na maioria, arrancaram aplausos da plateia. Uma “Nova Geração de Artistas” com a benção dos profissionais da ribalta do município ali era anunciada.

Érika Ferreira – Dona Conceição; Fernando Mattos - Apóstolo João; Ivan de Oliveira – Caifás; Simone Leal – Maria; Gabriel Mendes – Diabo; Camato Lima – Judas Iscariotes, e Kadú Monteiro – Jesus, com direito a peregrinar num jegue, nos arredores.


Direção de Ivan de Oliveira e Valério Bandeira, essa montagem abrilhantou. Vanderley Borges, conhecido nas festas de Momo, com cenário removível. Karen Ramos, na coreografia, uniu dança com poesia. O figurino, fruto do coletivo, respondeu à altura de um espetáculo desse porte. Que, por sua vez, não é para qualquer elenco, mas sim para esse de 50 atores e 25 bailarinos. Parabéns!

O “Auto da Paixão” desse ano, com certeza, o melhor já ocorrido no município. A crucificação dos ladrões com o Cristo ao centro, suspenso no madeiro, foi uma de uma ousadia e tanto.

E logo caíram as lágrimas, espectadores desdobrando os lencinhos, diante a ressurreição do protagonista, surgindo entre fumaças no alto da Matriz: “Eu sou o caminho, a verdade e a vida” ...

Enfim, espetáculos desse nível só enobrecem a cultura de São Gonçalo. A população agradece!

O “Auto da Paixão” foi uma realização da FASG.


*André Santana é poeta, ator, cronista, diretor de teatral e produtor.

#ANDRESANTANA #ARTIGOS #CULTURA

MV1.2.jpg
MALUGA_2.jpg

© 2020 POR APOLOGIA BRASIL

  • w-facebook
  • Instagram
  • White Twitter Icon