Coletivo de artes gonçalense leva para os palcos conflitos sociais e existenciais do cotidiano