Buscar

Vereador preso hoje pela PF coleciona polêmicas



O vereador Amarildo Aguiar (PV), preso hoje em sua casa pela Polícia Federal acusado de fraudar R$ 9 milhões de receitas do SUS em conluio com três clínicas conveniadas de São Gonçalo, é um colecionador de polêmicas em sua vida parlamentar.

Eleito pela primeira vez em 2008 com pouco mais de 4 mil votos, o parlamentar sempre teve uma trajetória discreta, e até apagada na Câmara, quando veio a público, em maio de 2014, um video em que Aguiar declara-se contrário às eleições para diretores de escola, desqualificando a representação política e eleitoral dos professores. "Não preciso do voto de vocês (professores), nunca precisei!", disse da Tribuna.

Ainda nesta ocasião, o parlamentar justificou seu posicionamento em defesa do governo poder escolher os diretores das unidades: "Eleição não adianta nada. Se não fosse o prefeito (Neilton Mulim) escolher os diretores, as escolas já estavam fechadas", reverberou, enquanto do lado de fora da Casa Legislativa, aturdidos e perplexos, os profissionais da educação se esgoelavam contra as palavras de Amarildo Aguiar.

Alguns meses depois, em novembro, o vereador protagoniza outro momento polêmico, agora contra um membro do próprio governo que Amarildo apoia. Dessa vez o parlamentar subiu à Tribuna para denunciar um suposto esquema de corrupção encabeçado pelo então subsecretário de Posturas, José Luiz Mallmamm. Segundo o vereador, Mallmamm estaria cobrando propina para os camelôs de Alcântara trabalharem nas ruas e calçadas do bairro.

Houve um bate-boca entre Amarildo Aguiar e a esposa de Mallmamm presente à sessão, que acusou o vereador de pressionar a demissão do marido em benefício de dois genros que atuavam em subsecretarias com funções semelhantes: Fábio Jorge Gomes, na fiscalização urbana, e Alex Silva, no controle urbano.

Amarildo, após invocar o regimento interno e pedir à segurança para retirar a esposa do subsecretário do plenário, encerrou assim a sua intervenção: "Desafio, a qualquer um presente ou que esteja me escutando, pra que fale que Amarildo é corrupto, ou que Amarildo pegou um real de alguém, em qualquer lugar. Eu falo por mim, e por mim eu falo o que eu quiser. Respondo pelas minhas consequências..."

Na operação de hoje, o vereador foi indiciado por estelionato, corrupção passiva e associação criminosa. Amarildo deve cumprir prisão temporária de 5 dias para só depois a Justiça decidir se o parlamentar poderá responder ao processo em liberdade.

Veja abaixo os videos polêmicos.



Gostou? Curta a página Daki no facebook aqui e fique bem informado.


#POLÍTICA

MV1.2.jpg
MALUGA_2.jpg

© 2020 POR APOLOGIA BRASIL

  • w-facebook
  • Instagram
  • White Twitter Icon