Buscar

Itaboraí promove Semana de Luta contra a Tuberculose


As atividades de combate a tuberculose acontecem durante todo o ano em Itaboraí. Porém, para marcar o Dia Mundial de Luta Contra à Tuberculose, que será celebrado na próxima quinta-feira (24), os trabalhos de orientação, prevenção e diagnóstico precoce da doença serão reforçados entre os dias 21 e 31 de Março. Na programação estão incluídos seminários de avaliação, fóruns de pesquisa, atividades educativas e orientação à população.

"Essa semana será um período para alertarmos a população para os problemas da Tuberculose (TB) e de realçar os esforços feitos na área da prevenção e controle desta doença", afirma a coordenadora do Programa de Controle da Tuberculose (PMCT), Maria José Pereira.

Serviço

21/03 - Atividades educativas e de mobilização em todas as unidades de Saúde da Família - Manhã e Tarde

22/03 - Atividades educativas e passeata na Unidade de Saúde do bairro de Jardim Planalto - Manhã e Tarde

23/03 - Atividades educativas e de mobilização no Hospital Municipal Desembargador Leal Junior (HMDLJ) - às 9h

30/03 - Encontro com grupo de pacientes em tratamento para troca de experiência e esclarecimentos, na sede do PMCT, Av. Vereador Hermínio Moreira, 9, no Centro - às 9h

31/03 - IV Seminário de Avaliação e Fórum de Pesquisas Operacionais, no Salão Nobre da Prefeitura - das 8:30 as 13h


O Programa

Desde 2015, quando foi inaugurada, a nova sede do Programa de Controle da Tuberculose (PTC) que abriga também o Laboratório Municipal de Saúde Pública Municipal, já atendeu cerca de 2.300 pessoas e vem realizando cerca de 300 exames de baciloscopia por mês. O exame é o principal método no diagnóstico e controle da doença. Todos os pacientes em tratamento no município são acompanhados por profissionais de saúde, além de psicólogos e assistentes sociais. A Prefeitura também mantém em funcionamento o serviço de entrega de cestas básicas mensais a quem se submete ao tratamento.

A doença

A tuberculose é uma doença tratável e curável, causada pelo Bacilo de Koch e transmitida pelo ar, através da tosse, fala ou espirro, de pessoa para pessoa. O contágio não ocorre por meio de pratos, talheres, roupas de cama, toalhas ou vaso sanitário que a pessoa doente venha utilizar. É considerado sintomático respiratório todo aquele que apresenta tosse por três semanas ou mais.

Quem apresentar tosse contínua por mais de três semanas pode fazer o exame de baciloscopia, realizado com o escarro do suspeito de ser vítima da doença, no posto de saúde mais próxima de casa. Se seguido corretamente, o tratamento dura seis meses em média para evitar que os bacilos criem resistência aos medicamentos.

Em Itaboraí, os remédios são distribuídos toda semana, e o paciente deve fazer consulta de revisão uma vez por mês. Caso não compareça no período de duas semanas, equipes de saúde vão até a casa do paciente verificar o porquê da interrupção do tratamento. Os exames também são estendidos aos familiares que moram com a pessoa infectada. Já durante o tratamento, dependendo do estado de saúde, a pessoa já pode voltar a trabalhar e ter uma vida normal.

Gostou? Curta a página Daki no facebook aqui e fique bem informado.


#cidade #saude #Itaborai

MV1.2.jpg
MALUGA_2.jpg

© 2020 POR APOLOGIA BRASIL

  • w-facebook
  • Instagram
  • White Twitter Icon