Buscar

Festival de Joinville recebe bailarinos de São Gonçalo


Começou hoje as apresentações das companhias selecionadas para participarem do 34º Festival de Dança de Joinville, Santa Catarina, considerado o mais importante do Brasil.

A abertura do evento fica por conta de uma das mais importantes companhias de dança da América Latina segundo a crítica especializada, a São Paulo Companhia de Dança (SPCD). Estarão participando do festival, bailarinos de 22 estados, Distrito Federal, Paraguai e Argentina.

Com passos precisos e, olhar esperançoso, os bailarinos da Cenarte Dimersões foram selecionados para apresentarem nove trabalhos na edição deste ano, nas seguintes modalidades: Ballet Clássico de repertório, Ballet Neo Clássico, Jazz, Contemporâneo e Hip Hop. Dentre essas modalidades destacam-se a coreografia de Ballet Neoclássico Duo “Para sempre amigas”, da premiada coreógrafa Alinne Kelly, com as promissoras e jovens bailarinas Isabelle Werberg e Isabela Gouveia.


Ao todo o Cenarte conseguiu aprovação de trinta bailarinos para dançar nos palcos do Festival. Dentre eles destacam-se Wallace Guimarães aprovado na competição da edição anterior, assim como a dupla Rothyer Fernandes e PH premiados em 2º lugar em danças urbanas.

De acordo com a coreógrafa e professora da Escola, Alinne Kelly, o sentimento é de dever cumprido em poder levar os alunos para o Festival. “Eu me sinto muito orgulhosa e fico feliz quando vejo um aluno que formamos ou pudemos direcionar dançando em uma grande CIA internacional ou no Brasil, hoje mesmo tive a feliz notícia de ver em cartaz o espetáculo de um dos nossos alunos no Porto em Portugal, ele assina o espetáculo e foi formado aqui no Cenarte”, relatou a professora.

Segundo o bailarino e diretor da Cenarte, Igor Lopes, a escola tem contribuído com seu papel social, e vem também resgatando crianças e jovens com potenciais artísticos e que estão em situação de risco social dando-lhes condições de futuro melhor através da dança e das artes.


“Também me sinto honrado pelos meus alunos que não seguiram a carreira, mas foram agraciados pela segurança que dança passa, a disciplina e a perseverança que a dança exige e hoje são médicos, engenheiros, advogados, assistentes sociais e que na sua maioria foram alunos participantes dos projetos sociais ou bolsistas”, declarou Igor.

O Festival de Dança de Joinville engloba a realização de cursos e oficinas com fins de aperfeiçoamento profissional, workshops gratuitos para os coreógrafos inscritos no evento, seminários de dança, projetos comunitários, palestras, debates, entre outras ações.

Em oito Noites Competitivas, serão apresentadas as categorias: Balé Clássico de Repertório, Balé Neoclássico, Dança Contemporânea, Danças Populares, Danças Urbanas, Jazz e Sapateado. Apenas os primeiros lugares voltam a brilhar no palco, na Noite dos Campeões, último dia do evento.

No Festival serão apresentadas 206 coreografias de 127 grupos e escolas de dança, com 7.800 bailarinos do Brasil e Paraguai e Argentina.

Neste ano o festival terá início em 20 de julho, fazem parte da programação cursos, oficinas, noite de gala, seminários de dança, noite dos campeões, mostra competitiva, rua da dança, meia ponta, visitação aos bastidores, feira da sapatilha, palcos abertos e dança comunidade.

O evento é considerado como maior Festival de Dança do Mundo, segundo o Guinness Book, desde 2005. As apresentações em palcos abertos reúnem 1.445 coreografias, que foram selecionadas pela curadoria de Thereza Rocha, Mônica Mion e Marcelo Misailidis.

A programação oficial você pode encontrar no endereço http://www.ifdj.com.br/site/


Marcos Moura

Gostou? Curta a página Daki no facebook aqui e fique bem informado


#CULTURA

MV1.2.jpg
MALUGA_2.jpg

© 2020 POR APOLOGIA BRASIL

  • w-facebook
  • Instagram
  • White Twitter Icon