Buscar

Após conseguir religar luz, Nanci decreta estado de calamidade



Além dos inúmeros problemas da cidade, previamente conhecidos dentro e fora dela, em seu primeiro dia como prefeito de São Gonçalo, José Luiz Nanci acessou o prédio da prefeitura às escuras. Devido à situação caótica, presente em todos os setores, o prefeito vai decretar estado de calamidade financeira. Às 8h de hoje (2), o prefeito se reuniu com representantes da Enel (Ampla), concessionária de energia elétrica que também está na lista de credores do município, e conseguiu religar a luz.

- Assumo a prefeitura nesta segunda-feira (2) em situação caótica, por isso pretendo decretar estado de calamidade financeira no município ainda nesta semana. Temos problemas na coleta de lixo, infraestrutura, falta de segurança, manutenção nas ruas, como iluminação, sinalização e falta de urbanização. A cidade necessita de muitas ações para o bem-estar dos gonçalenses. E ainda tem a questão do orçamento, que está mais da metade comprometido com dívidas, que giram em torno de R$ 600 milhões. Em meu primeiro dia de governo, preciso quitar o 13º salário dos servidores e pagar a concessionária de energia elétrica para poder trabalhar. Ainda tem os salários de dezembro. É importante que todos estejam cientes dessa situação na qual assumimos o governo - avalia o prefeito José Luiz Nanci.

O prefeito também disse que irá rever todos os contratos em andamento. “Acredito que os empresários precisam entender o momento que estamos passando. São Gonçalo precisa de ajuda”, ressalta.

O fornecimento de energia foi interrompido na última sexta-feira (30) pela segunda vez em uma semana. Após negociações da Enel Distribuição Rio, antiga Ampla, com líderes da atual gestão. Na terça, a prefeitura vai pagar a parcela do acordo, que gira em torno de R$ 2,5 milhões.

A sede da prefeitura também abriga secretarias e subsecretarias, como Administração, Fazenda, Controle Interno, Governo, Comunicação, Infraestrutura, entre outras.

Segundo a notificação de suspensão de fornecimento de energia elétrica expedida pela Enel no mês de dezembro, a prefeitura está com um débito de mais de R$26 milhões. Sendo R$ 6.340.370,18 (Seis milhões, trezentos e quarenta mil, trezentos e setenta reais e dezoito centavos), referentes ao pagamento das faturas de energia elétrica dos últimos 90 dias.

Entre as unidades que se encontram com dívidas constam serviços de suma importância para o atendimento da população, como os prontos-socorros municipais, Unidades de Pronto Atendimento (Upa's), postos de saúde, hemonúcleo, cemitérios, academias da saúde, semáforos, Samu, Instituto de Previdência e Assistência dos Servidores de São Gonçalo (IPASG) e sede da Guarda Municipal.

Nesta terça-feira (3), o prefeito irá empossar seu secretariado, na sede da prefeitura.

Estado de calamidade financeira

O Prefeito José Luiz Nanci assinou nesta segunda-feira (2) um decreto de calamidade financeira no âmbito municipal. A determinação que será publicada no Diário Oficial do município desta terça-feira (3), saiu após a análise das contas realizadas no primeiro dia da nova gestão.

A decisão levou em conta a necessidade de ações, no curto prazo, para fazer frente à crise e garantir a continuidade da prestação de serviços públicos para a população.

Gostou? Curta a página Daki no facebook aqui e fique bem informado.


#SÃOGONÇALO #JOSÉLUIZNANCI #CIDADE

MV1.2.jpg
MALUGA_2.jpg

© 2020 POR APOLOGIA BRASIL

  • w-facebook
  • Instagram
  • White Twitter Icon