Buscar

Secretaria da Mulher realiza ação de enfrentamento à violência em SG



Todo dia, cerca de 12 mulheres são assassinadas no Brasil, de acordo com o Dossiê Mulher 2018. Em São Gonçalo não é diferente, e pensando na importância de tornar mais próximo da população os órgãos públicos que realizam proteção e acolhimento à mulheres, vítimas de diferentes formas de violência, a Subsecretaria de Políticas Públicas para as Mulheres realizou, na manhã de hoje (4) uma ação de conscientização no Partage Shopping, com distribuição de panfletos, esclarecimento de dúvidas com as equipes técnicas e informações sobre as diferentes forma de denúncia.

- Ações como essa são de extrema importância para que a população tenha conhecimento dos espaços públicos de acolhimento e de garantia de direitos. A cidade possui dois Centros Especiais de orientação à Mulher (Ceom), além da própria secretaria também contamos com o trabalho em rede de diferentes setores e segmentos que atuam na proteção, lutando para que essas mulheres vítimas de violência sejam protagonistas das suas próprias histórias - disse Andrea Machado, subsecretária de Políticas Públicas para Mulheres.

O Ceom Patrícia Acioli e Zuzu Angel, localizados em Neves, são espaços de orientação e assistência, que recebem mulheres em situação de violência, acompanhado cada caso e dando suporte nas áreas de psicologia, assistência social e jurídica. Só em 2017 mais de 300 mulheres foram assistidas. A coordenadora Lilian Duca relata que grande parte dos casos que chegam ao CEOM têm início na violência psicológica, e em grande parte vinda dos companheiros das vítimas.

- O Ceom é formado por uma equipe multidisciplinar que vai orientar cada caso colocando sempre essa mulher como sujeito de sua própria história. Muitas vezes as vítimas chegam ao Centro quando a violência já aconteceu, em grande parte vinda dos companheiros, então é de grande importância que esse trabalho de conscientização seja feito para que a população tenha acesso e antes mesmo que a violência aconteça, saibam onde procurar ajuda - destacou.

A atividade aconteceu em parceria com o projeto de extensão do curso de Direito da Universidade Salgado de Oliveira (Universo), com o apoio da advogada e consultora jurídica do CEOM, Lilian Nunes, e a professora e advogada Patrícia Brazão Motta. Cerca de 20 alunos do Núcleo de Estudos e Pesquisas Acadêmicas (Nepac) auxiliaram no trabalho de conscientização com retirada de dúvidas sobre as diferentes leis protetivas às mulheres e também idosos.

- Os alunos hoje estão tendo a oportunidade de pôr em prática , para além da teoria, a importância de um trabalho humanizado. Um profissional não pode ser engessado apenas em um conceito, por isso, para nós hoje estamos em trabalho de campo, onde eles podem prestar o serviço de informar e auxiliar aqueles que precisam. Como pesquisadora do Direito de Família vejo constantemente a crescente dos casos de violência contra a mulher , e poder trazer os alunos para esta realidade e ainda auxiliar a população é algo muito gratificante - disse.

Para que a rede de proteção seja efetivada em São Gonçalo, a secretária de Políticas Públicas para mulher idoso e pessoa com deficiência , Marta Maria Figueiredo, ressaltou a importância do trabalho intersetorial no enfrentamento a violação de direitos.

- A articulação e o trabalho em rede são fundamentais para garantirmos uma política pública pelos direitos das mulheres. Aproximar a população do serviço público através de ações como essa garantem não só o acesso, mas a efetivação da garantia de direitos. Por isso o trabalho em rede é importante. A parceria e articulação com outros órgãos de diferentes setores irão garantir a assistência de forma ampla e irrestrita a todos e todas que necessitarem - afirmou.

Gostou? Curta a página Daki no facebook aqui e fique bem informado.


#CIDADE #SÃOGONÇALO #REDEMULHERSG

MV1.2.jpg
MALUGA_2.jpg

© 2020 POR APOLOGIA BRASIL

  • w-facebook
  • Instagram
  • White Twitter Icon