Buscar

Manifestantes fazem ato contra a intolerância religiosa em Niterói


Praticantes de religiões de matrizes africanas se reuniram na Praça Arariboia

Ato foi realizado na Praça Arariboia/Foto: Matheus Falcão

Manifestantes realizaram um ato contra a intolerância religiosa no Centro de Niterói, em frente a estação das barcas, na noite desta quarta-feira (7). O Grupo se uniu em um protesto pacífico para reinvindicar a respeito do ocorrido no último dia 2, feriado de finados. Na ação, adeptos e praticantes das religiões afro, teriam sido impedidos de praticar suas atividades religiosas dentro do cemitério do Maruí, em Niterói, por um grupo de denominação evangélica.

Segundo eles, o ato de intolerância religiosa foi testemunhado por diversas pessoas que, horrorizadas, pediram ajuda da Guarda Municipal. A manifestação, que começou por volta das 18h, tinha como objetivo alertar a população de Niterói sobre a importância de respeitar a religião do próximo.

Carlos Alexandre, o "Perna", organizador do ato, disse que todas as religiões merecem respeito.

"Eu tenho um irmão que é pastor, e ele ficou indgnado com o que aconteceu no Maruí. Estamos aqui nesse ato tão lindo para mostrar nossa indgnação, alertar a todos que assim como damos o respeito, também merecemos ser respeitados."

Em um momento da manifestação, cada participante prestou seu depoimento utilizando um megafone. Com isso, todos que por ali passavam conseguiam escutar as palavras de indignação.

E a população também aderiu a causa. Apesar de não pertencer a religião dos manifestantes, João Batista, morador de São Gonçalo, descobriu sobre o protesto através das redes sociais e foi apoiar o ato.

"Como morador de São Gonçalo eu sempre vi esse tipo de culto da umbanda e Candomblé sendo realizado no cemitério do Marui de forma pacífica. Mas, o que aconteceu no último dia dois foi fora do comum, me deixou indignado. Tudo está sendo questionado, e o desrespeito está muito grande, sobretudo com outras religiões. Eu não poderia deixar de vir e apoio totalmente a causa. Espero que o respeito predomine"

E as manifestações vão continuar, isso porque no próximo domingo (11), às 10h, grupos religiosos de Umbanda, Candomblé e simpatizantes vão se unir em uma caminhada pela paz e contra a intolerância religiosa. O ponto de encontro será na praça do Barreto, em Niterói, seguindo até o cemitério do Maruí.

De O Fluminense.

#CIDADE #NITERÓI #INTOLERÂNCIARELIGIOSA #CANDOMBLÉ #UMBANDA #KOTIDIANO

MV1.2.jpg
MALUGA_2.jpg

© 2020 POR APOLOGIA BRASIL

  • w-facebook
  • Instagram
  • White Twitter Icon