Buscar

SG promove curso de enfrentamento à violência contra a mulher


A capacitação é voltada para movimentos sociais, organizações populares e profissionais da área de assistência


Em 2017, São Gonçalo integrou o ranking das 10 cidades com os maiores números de violência psicológica, tentativa de estupro e lesão corporal contra a mulher. A partir do número alarmante e com o objetivo de ampliar e fortalecer o atendimento nas redes de proteção às mulheres, a Subsecretaria de Políticas Públicas para Mulheres em parceria com o Ministério Público e a Fundação Henrich Boll realizam o curso de formação “Conhecimentos e práticas de atendimento às mulheres: Tecendo redes para enfrentar violências e garantir direitos”, que acontece nos dias 12, 13, 14, 21 e 23 de novembro, das 13hs às 17hs, no Auditório do Ministério Público, em Santa Catarina.


A capacitação é voltada para movimentos sociais, organizações populares, trabalhadores e profissionais das áreas da assistência social, saúde, direito e educação que atuam com grupos que sofrem violações de direitos; psicólogos e profissionais da saúde mental, além de instituições que estejam comprometidos com essas demandas, para aprofundar o debate sobre as violências sofridas por mulheres.

“É uma excelente oportunidade para aprofundar os conhecimentos e poder fortalecer e qualificar melhor o atendimento às mulheres do nosso município”, afirmou Andrea Machado, subsecretária de Políticas Públicas para Mulheres.

O curso é uma realização da Federação de órgãos para Assistência Social e Educacional (FASE), Escola de Serviço Social da UFF, Núcleo da Defensoria Pública de Direitos da Mulher (NUDEM) e da Fundação Henrich Boll. Inscrições podem ser feitas aqui.


Redes de proteção

Além do 180 (Central de Atendimento à Mulher em Situação de Violência), a cidade de São Gonçalo ainda possui as redes de proteção através do Conselho dos Direitos da Mulher, localizado na Rua Uriscina Vargas, 36, Mutondo; Movimento de Mulheres, na rua Rodrigues da Fonseca, 201, Zé Garoto; Delegacia de Atendimento a Mulher (DEAM), na Avenida Dezoito do Forte, 578, Mutuá; e através do CEOM, que funciona de segunda a sexta, das 9h às 17h, com atendimento presencial na Rua Camilo Fernandes Moreira, em Neves, ou ainda pelo telefone 96427-0012.

#CIDADE #SÃOGONÇALO #REDEMULHERSG #VIOLÊNCIA

MV1.2.jpg
MALUGA_2.jpg

© 2020 POR APOLOGIA BRASIL

  • w-facebook
  • Instagram
  • White Twitter Icon