Buscar

Inquérito 5736: 'Há um mínimo de dignidade que o homem não deve negociar, nem mesmo em troca de


“O espetáculo fala de liberdade de forma atemporal, tendo Dias Gomes feito uma metáfora do Regime Militar no Brasil através da Santa Inquisição - tribunal de membros da Igreja Católica – em quartos que mais pareciam os porões da ditadura, onde julgavam aquilo que achavam heresia".


“Inquérito 5736 – apenas uma parte da verdade” partiu da motivação da obra de Dias Gomes, O Santo Inquérito, de 1966. A montagem é da Cia. de Segunda, com sede em Nova Iguaçu e ocupando cada vez mais os palcos da Zona Sul carioca.

Branca Dias é acusada de heresia pela Santa Inquisição. É torturada e julgada com seu pai e seu noivo. Um espetáculo eletrizante, que não se prende a cronologia dos fatos e que a direção merecidamente alcançou o propósito.

- Para chegarmos ao processo final pesquisamos muito, cada ator apresentou um solo de seu personagem por conta própria, inclusive - revelou o diretor Anderson Dias, desmontando o cenário que é de sua concepção junto aos integrantes da companhia. – Apostamos muito no “aparato óptico de precarização” para melhor desenvolvimento dos personagens, das cenas, do ambiente, da sonoplastia, para os atores contarem o drama. – concluiu Dias, satisfeito com o resultado.

Já que falamos em cenário o espectador ficará surpreso ao assistir “Inquérito 5736”, um dos mais criativos da atualidade, com materiais simples que dão um tom a mais no visagismo de Tiago Costa. Fios, ferros, lâmpadas, lanternas e textos que remetem às escrituras sagradas com o sangue dos ímpios de batina daquele tempo, entre outras coisas. E em pensar que hoje, em pleno Século 21, existem aqueles que continuam querendo sangrá-las; não em atos tão bárbaros se comparados aos da época da peça, mas em pregações que descaracterizam um modo de vivermos em perfeita harmonia, por determinados ditos cristãos. A manipulação agradece enquanto Jesus chora num quarto sombrio.

Afoga daqui, asfixia de lá. Será que os detidos terão fôlego para sobreviver às torturas do soldado? E caso eles consigam sobreviver, será que vão seguir à risca tudo o que pregamos, conforme os desígnios de Deus, para o alcance da vida eterna?

Branca ora aflita ora suave, uma voz clamando liberdade, linda jovem apaixonada, intelectualizada, numa época em que a mulher era mantida leiga. Ela sente a presença de Deus em tudo aquilo que lhe dá prazer. Em tudo! O olhar da atriz Ohana Natureza reluz do início ao fim, buscando pelo Espaço Rogério Cardoso um herói que a salve daquela macabra página da Santa Amada Igreja Católica, que, ali, mistura-se à outra página não menos macabra, a do Regime Militar no Brasil (1964-1985), onde a tortura era aplicada para arrancar a verdade ou a mentira de quem quer que fosse. E que muitos, de almas tão pequenas - já dizia o poeta Cazuza -, clamam por seu retorno nas redes (nem sempre) sociais.

Os atores José de Brito e Thiago Zandonai caminham como se conectados em um fio imaginário, passam a bola para Ohana, que aparenta ser a mais jovem do elenco matar no peito e fazer mais um solo de placa. Um trio de atores defendendo com brio e segurança esse enredo motivado pela obra de um dos nossos maiores nomes da dramaturgia e teledramaturgia, Dias Gomes.

O ódio não converte ninguém, sabemos. Mas sempre é bom lembrar, ainda mais com milhares de brasileiros regredindo. E avisar para todos aqueles que persistem no quadrado da raiva que nunca é tarde para mudar. E não esquecer que Deus é o causador de todos os equívocos, tanto na peça quanto na cabeça de muitos, ventando pelos 4 cantos do mundo todos os tipos de preconceitos.

- Pra gente está sendo muito gratificante apresentar “Inquérito” aqui na Casa de Cultura Laura Alvim, nesse segundo semestre de ocupação do edital da FUNARJ. As pessoas estão gostando, ao fim de cada apresentação os cumprimentos estão sendo sinceros. – comemora o produtor José Carlos Rosa, com montagens da Baixada Fluminense para diversas cidades do país.

É segurar na mão e não soltar mais. A Cia. de Segunda é uma das companhias na resistência para manter seus espetáculos em cartaz, sem patrocínio, onde fazer teatro no Brasil nem sempre é mamão com açúcar.

Portanto, pessoal, borá lá prestigiar os zamigos no Teatro! E não se esqueçam de passar antes na bilheteria ou comprar o ingresso pelo site. A produção agradece!

Ficha Técnica

“Inquérito 5736 – apenas uma parte da verdade”

elenco: José de Brito, Ohana Natureza e Thiago Zandonai

visagismo: Tiago Costa

dramaturgia: Thiago Zandonai

op. de som: Carla Nunes e PH Silva

proj. gráfico: Cláudio Nogueira

produção: José Carlos Rosa

direção, sonoplastia e cenografia: Anderson Dias

Serviço

local: Casa de Cultura Laura Alvim/Espaço Rogério Cardoso

endereço: Avenida Vieira Souto, 176 - Ipanema/RJ

tel.: (21) 2332-2016

temporada: 09/11 a 02/12 - Sexta e Sábado (19h) e Domingo (18h)

ingresso: R$ 40 / R$ 20 (meia) no ingresso rápido.

classificação: 14 anos

duração: 50 minutos

Veja trailer da peça no Youtube.

Acesse a página no Facebook.


André Santana é poeta, cronista, produtor artístico e colunista teatral.

#ARTIGOS #CRÔNICAS #TEATRO #INQUÉRITO5736 #ANDRÉSANTANA

MV1.2.jpg
MALUGA_2.jpg

© 2020 POR APOLOGIA BRASIL

  • w-facebook
  • Instagram
  • White Twitter Icon