Buscar

Caxias, SG e Niterói lideram desemprego no estado


Cidades como Itaboraí e Volta Redonda, por sua vez, tiveram saldo positivo de contratações


Nos últimos 12 meses, foram fechadas quase 1,4 mil vagas de trabalho formais em Niterói. Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho. Essa é a terceira maior perda no Estado, considerando 49 municípios com mais de 30 mil habitantes. Em primeiro lugar no ranking negativo está Duque de Caxias, que fechou 2.224 postos de trabalho, e em segundo está São Gonçalo, com 1.581 vagas fechadas.

Entre as cidades que mais criaram oportunidades com carteira de trabalho assinada está a capital fluminense, com um saldo positivo de 3.215. Em seguida, São João da Barra (2.315), Volta Redonda (2.204) e Teresópolis (1.667). Entre as cidades do Leste Fluminense, impulsionada pela volta das atividades no Comperj, Itaboraí vem se recuperando da crise, com a criação de 1.568 empregos, ficando em quinto lugar no Estado. Na nona posição está Maricá, com a abertura de 936 novas vagas.


No período de um ano, Niterói teve mais demissões do que contratações. Foram 47.547 admissões e 48.936 desligamentos, o que implicou no fechamento de 1.389 vagas formais de trabalho. Nesse período, o mês com o resultado mais negativo foi o de junho, com a perda de 849 postos de trabalho.

Contrariando a tendência, em fevereiro Niterói conquistou um índice positivo, com 4.110 admissões e 3.827 demissões, gerando a abertura de 283 vagas. Esse cenário, no entanto, não ocorreu em janeiro, quando foram registradas mais demissões do que contratações: 4.615 contra 3.536, respectivamente. Isso mostra que o mercado de trabalho niteroiense iniciou mal o ano de 2019, com o fechamento de mais de 1 mil vagas.

De O Fluminense.

#KOTIDIANO #LESTEFLUMINENSE #DESEMPREGO

MV1.2.jpg
MALUGA_2.jpg

© 2020 POR APOLOGIA BRASIL

  • w-facebook
  • Instagram
  • White Twitter Icon