Chocolate com Laranja, por Rafael Abreu


Arte: Bruno Sartori
Arte: Bruno Sartori

A notícia que gerou maior repercussão nos telejornais dessa semana, foi sobre o esquema de corrupção envolvendo o senador Flávio Bolsonaro que atualmente está sem partido.


O Ministério Público do Rio de Janeiro acusou o filho do presidente Jair Bolsonaro, de desvio de dinheiro público e lavagem de dinheiro.


Ele também foi identificado pelo MP, como chefe de uma organização criminosa.

No documento emitido, o MP detalha todo o esquema de corrupção de Flávio Bolsonaro, que na ocasião era Deputado Estadual.


O esquema envolvia assessores, laranjas e até a milícia.


O filho do presidente é apontado como o chefe dessa quadrilha que desviava recursos públicos e os lavava através de uma loja de chocolates.


Foram identificados pelo menos 13 assessores que repassaram boa parte dos seus salários a Fabrício Queiroz. 

O Ex assessor de Flávio é amigo do então presidente da República Jair Messias Bolsonaro desde 1984, nessa época o Flávio tinha apenas 3 anos de idade.


Vale lembrar também que a esposa do atual presidente da república, também recebeu uma parte da propina através do Queiroz.


Estima-se que o esquema da fantástica loja de chocolates de Flávio Bolsonaro, tenha movimentado mais de R$ 7 Milhões de reais.


E quem comandava a chamada rachadinha, era o ex PM e assessor de Flávio, Fabrício Queiroz.



Queiroz quando foi convocado pelo MP para prestar esclarecimentos, não compareceu e evaporou. Depois apareceu internado no Hospital mais caro do país, comemorando e fazendo uma dancinha dentro do quarto que estava internado.


Depois desse episódio, o ex assessor de Flávio novamente evaporou sem deixar rastro.


Devido a isso as investigações foram suspensas, mas depois dessa nova denúncia feita pelo MP, que comprova os devios de recursos públicos e a lavagem de dinheiro  desse grande esquema de corrupção comandado por Flávio Bolsonaro, me leva há fazer algumas reflexões, que são pertinentes aos cidadãos de bem.


O que será que levou esse jovem a cometer todos esses crimes?


Será que faltou uma boa educação por parte dos pais?


Será que foi por falta de "porrada" que ele virou bandido?


Será que lhe faltaram ensinamentos cristãos?


Será que agora eles também acham que bandido bom é bandido morto?

Ou será que essa foi apenas mais uma fraquejada da familícia do governo?


Por que o "Super-Moro", o implacável combatente da corrupção política se cala diante dos fatos e das provas cabais?


Por que o MP não manda prender essa quadrilha, já que eles têm as provas?


Será que lhe falta convicções?


Eu sou Rafael Abreu, colunista do Daki


***

Rafael Abreu faz análises de conjuntura politica nacional às quartas no Jornal Daki



MALUGA_2.jpg
QV1.jpg