Com 14,8 milhões de brasileiros sem trabalho desemprego bate recorde histórico, diz IBGE

A população fora da força de trabalho forma um contingente de 76,5 milhões de trabalhadores


Foto: Reprodução internet
Foto: Reprodução internet

Em meio às mais de 450 mil mortes pela Covid-19, a inação do governo Jair Bolsonaro (Sem partido) bateu mais um recorde de desocupação no Brasil.


Dados da Pesquisa Nacional por Amostragem de Domicílio (PNAD) Contínua, divulgados nesta quinta-feira (27) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), revela um aumento de 0,8 pontos porcentuais na taxa de desemprego, que bateu 14,7%, recorde da série histórica, iniciada em 2012.


A taxa ficou 2,5 pontos porcentuais acima da registrada no mesmo período em 2020.


No total, a política de Bolsonaro e Paulo Guedes, Ministrio da Economia, soma 14,8 milhões de brasileiros desempregados, o maior nível da série histórica. Em relação ao trimestre anterior, mais 880 mil trabalhadores perderam seus emprego – 6,3% de aumento. No comparativo com o ano passado, a taxa cresceu 15,2%, com 1,956 milhão de pessoas desocupadas.


Outros 33,2 milhões de brasileiros – 29,7% da população economicamente ativa – têm mão de obra subutilizada, trabalhando menos do que poderiam. A população fora da força de trabalho forma um contingente de 76,5 milhões de trabalhadores.




MALUGA_2.jpg
QV1.jpg
Banner_300x250_Homem.gif